Cardeal Celli: "Comunicar significa conscientizar-nos de que somos humanos"

Mensagem do presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais no I Congresso Internacional sobre Evangelização Digital, realizado em Madri

Madri, (Zenit.org) Redacao | 464 visitas

Nos dias 4, 5 e 6 de abril, foi celebrado em Madri o I Congresso Internacional de Evangelização Digital, organizado pela iMisión. O tema do encontro, “Missionários num mundo enREDado”, faz um jogo de palavras em espanhol com os termos “red” (rede, em referência à internet) e “enredar” (envolver).

Participaram o responsável pela conta do papa no Twitter, Gustavo Entrala; o sacerdote jesuíta Antonio Spadaro, diretor da célebre revista italiana La Civiltà Cattolica; a professora de comunicação da Universidade Carlos III, Susana Herrera, e o bispo de San Sebastián, dom José Ignacio Munilla, entre outros.

O presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, cardeal Claudio Maria Celli, saudou os participantes através de videoconferência no Vaticano, convidando-os a uma cultura do encontro, ao testemunho da vida e à formação permanente.

O congresso contou com mesas redondas e oficinais práticas sobre temas como gestão de redes sociais e blogs para evangelização.

Reproduzimos na íntegra a mensagem enviada em vídeo pelo cardeal Celli:

* * *

Desejo saudar todos os participantes deste I Congresso de Evangelização na Internet, organizado pelos jovens da iMisión.

Minha saudação, no início deste seu congresso, quer ser uma voz de encorajamento para todos vocês, que querem viver o Evangelho em cada um dos âmbitos da vida; em particular no novo ambiente digital, habitado por centenas de milhares de pessoas, no qual nós, cristãos, somos chamados a “ajudar as pessoas de hoje a descobrir o rosto de Cristo” (cf. Bento XVI, Mensagem para a 44ª Jornada Mundial das Comunicações Sociais, 2010).

Entre as possibilidades que a comunicação digital oferece, uma das mais importantes se relaciona com o anúncio do Evangelho. É claro que não é suficiente desenvolver habilidades tecnológicas, embora elas sejam importantes. Trata-se, acima de tudo, de encontrar homens e mulheres reais, muitas vezes feridos ou confusos, para oferecer a eles verdadeiras razões de esperança. Este anúncio requer relações humanas autênticas e diretas para proporcionar um encontro pessoal com nosso Senhor. Portanto, a tecnologia não é suficiente.

Isto não significa que a presença da Igreja na rede seja inútil; pelo contrário, é indispensável estarmos presentes, sempre com estilo evangélico, neste que, para tantos jovens, se transformou numa espécie de ambiente de vida, a fim de reativarmos as perguntas sobre o sentido da existência, que não podem ser apagadas do coração, e indicar o caminho que leva até Aquele que é a resposta, a Misericórdia divina feita carne: o Senhor Jesus (cf. papa Francisco, discurso aos participantes da Assembleia Plenária do Pontifício Conselho para os Leigos, dezembro de 2013).

Certamente, durante o congresso, vocês poderão conhecer muitos aspectos técnicos sobre o lado bom e o lado perigoso da internet, concretamente nas redes sociais, que são o espaço onde vocês são mais ativos. Mas eu quero lhes recordar que a comunicação não são os instrumentos, as técnicas ou as estratégias de persuasão. A comunicação é a constante dinâmica da doação de nós mesmos, permanecendo dispostos a acolher o que os outros nos oferecem.

Quero propor, assim, estas três imagens para a sua reflexão:

Sejam promotores da Cultura do Encontro

O Santo Padre Francisco nos presenteou uma reflexão muito bonita para a próxima Jornada Mundial das Comunicações Sociais, apresentando uma nova leitura da parábola do bom samaritano e exortando os comunicadores a se tornarem “próximos”. O papa Francisco nos diz que o bom samaritano não só se aproxima, mas cuida do homem meio morto que ele encontra à beira do caminho. Comunicar significa conscientizar-nos de que somos humanos, filhos de Deus, e de que temos que construir uma Igreja que seja casa de todos.

Eu convido vocês a se perguntarem se a sua comunicação é um bálsamo perfumado para a dor e um vinho bom para a alegria (cf. papa Francisco, Mensagem para a 48ª Jornada Mundial das Comunicações Sociais, 2014).

Chamados a dar testemunho

Somos chamados a ser testemunhas coerentes da fé que professamos, levando em conta que a nossa vocação missionária não tem que ser vivida como um expansionismo beligerante, mas como vontade de nos doar aos outros, sendo disponíveis e pacientes para atender as necessidades, perguntas e dúvidas de tantas pessoas que procuram a verdade e o sentido da sua existência (cf. Bento XVI, Mensagem para a 47ª Jornada Mundial das Comunicações Sociais, 2013). O papa Francisco, neste sentido, está nos dando grandes lições de abertura coerente e respeitosa às pessoas que não necessariamente pensam como nós.

Formação

Finalmente, é necessário continuar criando espaços de formação diante das transformações técnicas, sociais e culturais que estamos vivendo. Como membros ativos da Igreja, teremos que conhecer as novas linguagens e reconhecer o contexto em que realizaremos a nossa missão.  Graças à formação permanente, poderemos “saber ser e saber estar” nos novos ambientes comunicativos em que somos chamados a viver a nossa fé.

Precisamente por este motivo é que eu quis enviar esta saudação a todos os participantes deste congresso, com o auspício de que, durante estas jornadas, vocês tenham a oportunidade de intercambiar experiências e se enriquecer mutuamente.

Que Deus abençoe o seu trabalho.

+ Claudio Maria Celli

Presidente

***

A iMisión é uma iniciativa fundada pelo sacerdote marianista Daniel Pajuelo e pela religiosa da Pureza de Maria, Xiskya Valladares. É coordenada por um grupo de religiosos e leigos.

Seu objetivo é "tecer uma rede de católicos comprometidos com a evangelização na internet, oferecer-lhes formação e favorecer o encontro e a reflexão".

Sua principal inspiração é a doutrina da Igreja nos meios de comunicação. Seu maior exemplo é o papa Francisco.

Um dos frutos da iMisión é o "iDecálogo" para evangelizar nas redes sociais, já traduzido para cinco idiomas e disponível para download em www.imision.org.

Para mais informação: http://congreso.imision.org