Cardeal Grocholewski: conselhos a estudantes, professores e escolas no início do curso

Declarações do Prefeito da Congregação para a Educação Católica

| 922 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 17 de setembro de 2007 (ZENIT.org).- «Crescer na verdadeira sabedoria, ter cada vez maior senso crítico, saber discernir o que está bem do que está mal»: são conselhos do prefeito da Congregação vaticana para a Educação Católica aos rapazes e moças que começam nestes dias o curso escolar no hemisfério norte.



A estas recomendações, o cardeal Zenon Grocholewski acrescenta a importância de que os estudantes aumentem o senso de responsabilidade por suas ações e saibam aproveitar o que aprendem na escola para o bem.

Em pleno início de curso, o purpurado recordou aos jovens, ante os microfones da Rádio Vaticano, estas chaves de aprendizagem, pois não basta adquirir conhecimentos técnicos nas aulas.

«Viver sabiamente custa também sacrifícios, renúncias, domínio de si, dos próprios desejos, dos próprios instintos, mas só viver sabiamente torna as pessoas maduras e artífices do verdadeiro bem, do verdadeiro progresso», sublinha o purpurado.

«Na formação da sabedoria, ajuda enormemente nosso contato com o Senhor, com Cristo; por isso, é importante o ensinamento da religião – explica, dirigindo-se aos estudantes. É importante o crescimento de vossa fé, não esquecer jamais vossa oração», porque «vosso maior amigo é Cristo».

«Buscai viver em contato com Ele – exorta – e Ele, que vos ama de verdade, vos ajudará a converter-vos em pessoas maduras, que sabem contribuir para o verdadeiro bem e o dos demais.»

Na emissora pontifícia, o purpurado dirige também seu olhar aos valores que a escola deve recuperar hoje: «É preciso sobretudo tentar amar a verdade e buscar a verdade».

«Hoje, com muita freqüência, observamos esse relativismo a propósito da verdade sobre nossa vida e nosso destino; assim, podem ter vantagem diversas demagogias, tendências a dominar os demais – constata. No entanto, crescer na verdade, amar a verdade, significa ser cada vez mais livres.»

Por isso, na opinião do purpurado, deve-se, «já no Ensino Fundamental, tentar introduzir no coração das crianças, dos jovens, este amor pela verdade».

«Para os cristãos, a verdade não pode se separar jamais do que Jesus nos ensinou: ‘Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida’», aprofunda.

Quanto aos professores, o cardeal Grocholewski define o bom educador como «aquele que ama seus alunos».

«É muito importante que os docentes confirmem com a própria vida, com o próprio exemplo, com o próprio amor, o que ensinam», conclui.