Cardeal Kasper informa-se sobre cursos «Alpha»

Um método de evangelização utilizado por católicos, protestantes, anglicanos, ortodoxos...

| 722 visitas

ROMA, sexta-feira, 9 de novembro de 2007 (ZENIT.org).- O cardeal Walter Kasper, presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos, recebeu em primeira pessoa, ontem, informação sobre uma das iniciativas de evangelização que mais crescimento está experimentando nos últimos anos, os cursos «Alpha».



Segundo explicou à Zenit uma das pessoas presentes no encontro, Johannes Seidel, coordenador dos cursos «Alpha» para a Igreja Católica na Alemanha e Áustria, foi um encontro importante, pois este projeto nasce com uma dimensão ecumênica.

No encontro estava presente Nicky Gumbel, vigário da paróquia anglicana da Santa Trindade em Knightsbridge, Londres, que foi o grande promotor dos cursos «Alpha», acompanhado por sua esposa, Pippa. No encontro também participou Dom Thomas Maria Renz, bispo auxiliar de Rottenburg-Stuttgart.

«O cardeal pôde ver que temos um instrumento comum para a evangelização, por exemplo, há mosteiros ortodoxos que estão aplicando os cursos ‘Alpha’», explica o coordenador.

«Não fazemos cursos mistos para diferentes denominações cristãs, são cursos de cada paróquia ou comunidade, e não há proselitismo – acrescenta. O que fazemos juntos entre os cristãos é o treinamento na evangelização e na oração.»

Segundo explica Seidel, «mais de dez milhões de pessoas no mundo participaram de um ‘Alpha course’, uma oportunidade para descobrir o sentido da vida, realizado em milhares de igrejas de diferentes denominações cristãs no mundo».

«É também um curso que ajuda a ‘renovar’ católicos praticantes ou quem perdeu sua fé.»

O cardeal Kasper entrou em contato com Gumbel, no encontro europeu de movimentos que se celebrou na cidade de Stuttgart, no mês de maio passado.

Naquela ocasião, Gumbel apresentou «Alpha» ao purpurado alemão como uma oportunidade «de renovação para as paróquias católicas», com um «impacto» ao mesmo tempo para o ecumenismo.

«Estou certo de que a unidade entre os cristãos é a condição da evangelização do mundo», afirma Seidel, como disse o Papa na mensagem que enviou à III Assembléia Ecumênica Européia que se celebrou em Sibiu (Romênia) em setembro.

«Se também utilizamos métodos comuns de evangelização, seremos mais críveis. Hitler só foi possível em um país secularizado, e a secularização só foi possível pela separação dos cristãos», afirma o coordenador alemão, que se converteu do protestantismo ao catolicismo.

«A desunião nunca é obra do Espírito Santo. O diabo é o que desune. Agora estamos desunidos, mas o Senhor toma tudo o que temos, o melhor o pior e tira o bem disso.»

«Devemos trabalhar juntos, começar por rezar juntos. Se rezarmos juntos, as coisas mudarão, pois o Senhor disse: ‘Onde estão dois ou três reunidos em meu nome, ali estou eu no meio deles’ (Mt 18, 20).»

«Quando protestantes, por exemplo membros de ‘Igrejas livres’, ou pentecostais, descobrem que os católicos fazem evangelização com paixão e respeito, com o mesmo método de Alpha Course que eles aplicam, eles nos vêem como irmãos, eles nos vêem como cristãos.»

Seidel põe o exemplo do congresso de «Alpha Course» que se celebrou há dois anos em Roma, no qual o Pe. Raniero Cantalamessa, ofmcap., pregador da Casa Pontifícia, ofereceu uma palestra.

«Para mim, não houve novidade – explica o coordenador. Mas no dia seguinte conversei com um jovem pastor pentecostal da República Checa, que me disse que em suas palavras descobriu o que era a Igreja Católica e que no passado tinha muitíssimo preconceitos contra a Igreja Católica. Com lágrimas nos olhos me disse que devia fazer um ato de arrependimento.»

«Eu também chorei ao escutá-lo, pois meus avós eram da Bohemia. Para mim, isso é ecumenismo», conclui.

Mais informação em http://alpha.org/worldwide-alpha