Cardeal Ouellet, de Quebec a prefeito da Congregação para os Bispos

E presidente da Comissão Pontifícia para a América Latina

| 1440 visitas

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 30 de junho de 2010 (ZENIT.org) - Bento XVI nomeou como novo prefeito da Congregação para os Bispos e presidente da Comissão Pontifícia para a América Latina o cardeal Marc Ouellet, de 66 anos, até agora arcebispo de Quebec, segundo anunciou nesta quarta-feira a Sala de Imprensa da Santa Sé.

O até agora primaz do Canadá substitui o cardeal Giovanni Battista Re, de 76 anos, que apresentou a renúncia ao Santo Padre por motivos de idade.

Para o cardeal Ouellet, trata-se de um regresso à Cúria Romana, pois João Paulo II o nomeou secretário do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos entre 2001 e 2002, até ser nomeado arcebispo de Quebec.

Ordenado sacerdote para a diocese de Amos, a 25 de maio de 1968, no Canadá, foi professor de filosofia no Seminário Maior de Bogotá, na Colômbia, que então era dirigido pela província canadense da Companhia dos Sacerdotes de São Sulpício.

Essa experiência o moveu a se unir aos sulpicianos, em 1972. Posteriormente, estudou em Roma, onde em 1974 alcançou a licença em Filosofia na Universidade Pontifícia de São Tomás de Aquino. Enviado em 1974 ao Seminário Maior de Manizales, na Colômbia, foi destinado posteriormente ao Seminário Maior de Montreal, onde trabalhou até 1978.

De volta aos estudos, em 1983 doutorou-se em Teologia Dogmática na Universidade Pontifícia Gregoriana. Nomeado em 1982 membro da direção de professores do Seminário Maior de Cali, na Colômbia, foi também responsável pelos candidatos a ingressar na comunidade dos padres sulpicianos. Em 1984 foi nomeado reitor do Seminário Maior de Manizales.

Em 1988, foi eleito primeiro consultor do Conselho da Província Canadense dos sulpicianos, encargo que desempenhou até 1994. Em 1988, foi nomeado membro da direção de professores do Seminário Maior de Montreal, convertendo-se em reitor em 1990. Desempenhou esse mesmo encargo em 1994, no seminário de São José de Edmonton (Canadá).

Em 1996-1997, foi professor no Instituto João Paulo II da Universidade Lateranense, em Roma, convertendo-se em 1997 em catedrático de Teologia Dogmática.

João Paulo II o criou cardeal no consistório de 21 de outubro de 2003. Foi relator geral do Sínodo dos Bispos do mundo sobre a Palavra, em outubro de 2008.

É membro na Cúria Romana em várias congregações: Culto Divino, Educação Católica, Clero, assim como do Conselho de cardeais para o estudo dos problemas organizativos e econômicos da Santa Sé. Já era membro da Comissão Pontifícia para a América Latina.

Organismos

A Congregação para os Bispos, segundo prevê a constituição apostólica Pastor Bonus, de 28 de junho de 1988, auxilia o Papa na criação, divisão, unificação e supressão de Igrejas particulares (dioceses, vicariatos, prelaturas, ordinariatos castrenses...).

Auxilia o Papa em tudo o que se refere à nomeação dos bispos e ao reto exercício de sua função pastoral, oferecendo-lhes toda classe de colaboração.

Já a Comissão Pontifícia para a América Latina, criada por Pio XII em 1958, tem função de aconselhar e ajudar as Igrejas particulares do “continente da esperança”.