Cardeal Tomko: nova evangelização em Taiwan

Terminam as celebrações do 150º aniversário da evangelização do país

| 1086 visitas

TAIPEI, terça-feira, 24 de novembro de 2009 (ZENIT.org).- “Igreja em Taiwan, em nome do Santo Padre Bento XVI, eu te digo: levanta-te e anda! Uma nova época na tua história está a ponto de começar: a época da nova evangelização, seguindo Jesus Cristo, nosso Senhor e Rei!”

Esta foi a exclamação do cardeal Jozef Tomko, prefeito emérito da Congregação para a Evangelização dos Povos, durante a celebração conclusiva dos 150 anos da evangelização de Taiwan, realizada no estádio Lion Kou, de Taipei, no último sábado à tarde, solenidade de Cristo Rei.

“Concluir as celebrações do 150º aniversário da evangelização de Taiwan na festa de Cristo Rei tem um significado especial para nós”, disse o purpurado, segundo informou a agência Fides.

“É um novo convite a continuar e reavivar os esforços para a evangelização, o que significa construir o Reino de Jesus Cristo”, explicou.

Na cerimônia, estavam presentes cardeais e bispos, numerosos sacerdotes e missionários, diversas autoridades políticas e milhares de civis.

Em sua homilia, o cardeal – enviado especial do Papa ao evento – recordou a chegada a Kaohsiung, em 1859, de 3 missionários espanhóis procedentes das Filipinas, junto a outros 5 catequistas leigos chineses. Foi o início da Igreja Católica em Taiwan, depois de algumas tentativas realizadas em 1582 e 1626.

“Agora, o pequeno rebanho de fiéis católicos se enriqueceu com a presença de imigrantes das Filipinas e se organizou em sete dioceses”, constatou o purpurado.

Através da evangelização, “oferecemos à nossa sociedade os valores fundamentais do Reino de Cristo: a verdade e a vida”, destacou.

“Propomos esta mensagem a todos, não impomos – continuou. Estamos convencidos de que esta mensagem leva a justiça, o amor e a paz a toda a sociedade.”

O Pe. Felice Chech, camiliano, diretor nacional das Pontifícias Obras Missionárias em Taiwan, recordou que as celebrações do aniversário começaram no dia 17 de maio de 2008, em Kaohsiung, o lugar onde os missionários dominicanos desembarcaram e que foi evangelizado em primeiro lugar.

Entre as diversas iniciativas organizadas durante o ano, a mais exitosa “foi a peregrinação de Nossa Senhora, procedente da basílica menor de Wanchin, ao sul de Taiwan, que percorreu quase todas as paróquias da ilha”, recordou, destacando também a promoção do diálogo ecumênico e inter-religioso.

Entre as principais dificuldades que a Igreja deve enfrentar, o cardeal indicou o fato de que ela ainda é vista no país como uma “religião estrangeira” e às vezes suscita “sinais de desconfiança”, assim como “a ainda forte influência das superstições, que existem em todas as religiões populares”.

Por ocasião do 150º aniversário da evangelização, os bispos de Taiwan enviaram aos fiéis uma carta na qual destacam a necessidade de uma formação permanente e estabelecem o objetivo de 15 mil batismos e do retorno à Igreja de todos os que se afastaram da prática religiosa.

A carta, intitulada “Celebrar os 150 anos da evangelização imitando São Paulo: por uma missão da evangelização completa em todos os âmbitos”, indica que a Igreja em Taiwan pretende servir como ponte com a China continental, à qual quer propor um testemunho de unidade na fé.

Taiwan tem uma população de mais de 22,5 milhões de habitantes, dos quais 299 mil são católicos.

Apesar de representar uma minoria, a Igreja dirige 207 escolas de vários graus, 10 hospitais, 4 ambulatórios, 27 residências para idosos e deficientes, 13 orfanatos, 3 consultórios matrimoniais, 16 centros de educação e reinserção e outras 14 instituições de caridade e assistência.