Caridade, arma do cristianismo contra violência no Oriente Médio

Intervenção de Dom Coussa, bispo de Alexandria dos Armênios

| 975 visitas

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 20 de outubro de 2010 (ZENIT.org) – Dom Krikor-Okosdinos Coussa, bispo de Alexandria dos Armênios (Egito) considera que “a arma do cristianismo” é a caridade, em meio à violência frequente no Oriente Médio.

O prelado convidou a assembleia do Sínodo dos Bispos para o Oriente Médio – que nessa terça-feira se dedicou a preparar por grupos as propostas a Bento XVI – a estender a mão aos muçulmanos e aos judeus, “com uma esperança cristã”.

“A arma do Cristianismo não se constrói nas fábricas”, afirmou, falando em árabe perante a assembleia. “A arma do Cristianismo é a caridade. Consiste em construir pontes entre o homem e seu irmão.”

“E se o homem for capaz de descobrir essa arma, descobre a si mesmo e conhece então sua posição”. Quando alguém ama, “entrega-se, e quando se entrega, confia, e quando confia, se estabiliza, e quando se estabiliza, está isento de todo vício e calamidade”.

“Nossa esperança é viver em paz”, disse Dom Coussa. “Estendamos então nossas mãos aos muçulmanos e aos judeus com uma esperança cristã e uma vida nova. Digamos aos judeus: deixem de matar os inocentes e não esqueçam o que diz o Talmud: em cada homem vejo Deus”.

“Estendamos a mão a nossos irmãos muçulmanos na esperança de um convívio que permita construir uma só nação, uma só sociedade regida pela caridade, a fraternidade, a compreensão e o diálogo”, disse.