Cáritas alerta sobre catástrofe provocada pela monção no sul da Ásia

Só na Índia morreram 1.800 pessoas

| 706 visitas

CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 28 de agosto de 2007 (ZENIT.org).- Mais da metade da superfície de Bangladesh e amplas regiões da Índia permanecem sob as águas um mês depois das intensas chuvas que atingem toda a região desde finais de julho.



«As Cáritas locais manifestaram seus temores de que a já precária situação dos mais de 30 milhões de desabrigados por causa das inundações possa piorar ainda mais, se persistirem as precipitações», explica Cáritas em um comunicado envaido à Zenit.

Segundo os últimos números oferecidos pelas Cáritas da área, as monções acabaram com 1.800 vidas na Índia, mais de 150 em Bangladesh e quase 100 no Nepal.

«Muitas famílias ainda não receberam nenhum tipo de ajuda e continuam vivendo nas ruas, sob as árvores ou acolhidas por outras pessoas em suas casas», assinalou Denis Baskey, diretor regional da Cáritas Rajshahi, em Bangladesh.

«Precisam urgentemente de comida, água, medicamentos... Sua situação é grave», acrescentou.

As Cáritas da Índia, Paquistão, Nepal e Bangladesh redobraram seus programas de resposta à emergência causada pelas monções para poder prestar ajuda humanitária ao maior número possível de pessoas desabrigadas, apesar das graves dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores e voluntários da Cáritas para ter acesso a muitos dos danificados.

«Os povoados dos arredores de Darnhanga, em Bihar, são como ilhas no meio do oceano», explica Varghese Mattamana, diretor executivo da Cáritas Índia, que indica também «que não há suficientes embarcações disponíveis para ter acesso às aldeias mais remotas e podem passar vários meses antes que o nível da água desça».

Os principais desafios enfrentados agora pelas Cáritas locais são o aumento de afecções respiratórias, diarréias e infecções cutâneas entre os desabrigados. Também a perda das colheitas supôs um sério problema para a subsistência de milhões de pessoas que dependem da agricultura e que enfrentam agora a impossibilidade de poder semear de novo devido à inundação dos terrenos.

Para responder às ingentes necessidades desta emergência, Caritas Internationalis lançou a todas as Cáritas do mundo um chamado de ajuda econômica no valor de 6 milhões de dólares, para apoiar o trabalho das Cáritas locais.

A Cáritas Índia está prestando apoio a aproximadamente 5.000 famílias nas dioceses de Bettiah e Muzaffarpur, em Bihar. Também está apresentando assistência à saúde ambulante nas áreas afetadas, graças a uma rede de clínicas móveis, e está a ponto de pôr em andamento um plano de evacuação e de distribuição de mosquiteiros para prevenir os casos de malária. A Cáritas Índia fez um plano de emergência no valor de 2 milhões de dólares para garantir as necessidades básicas de 45.000 famílias de desabrigados em dez Estados afetados pelas chuvas.

Em Bangladesh, onde as monções provocaram o desabrigo de 10 milhões de pessoas, a Cáritas nacional solicitou à rede internacional da Cáritas fundos no valor de 1,5 milhão de dólares para financiar os programas de ajuda humanitária a 10.000 famílias. Este chamado supõe uma ampliação do pedido inicial de 800.000 dólares.

A Cáritas Paquistanesa, que lançou um pedido de ajuda de 1 milhão de dólares, está prestando ajuda de emergência a 6.000 famílias nas províncias de Baluchistão e Syndh. Até agora, instalou 600 vasos sanitários de emergência nas áreas afetadas, construiu outros 500 e distribuiu 1.000 kits de primeira necessidade.

No Nepal, a Cáritas local está prestando assistência humanitária a 10.000 famílias; para isso, pediu à rede internacional da organização meio milhão de dólares, com o objetivo de garantir aos danificados em 27 distritos do país o acesso à água potável, alimentos e remédios.