Cáritas Espanha apóia plano de reconstrução no Congo e Moçambique

Com um total de 110.000 euros para educação, saúde e ajuda

| 1032 visitas

MADRI, quarta-feira, 19 de março de 2008 (ZENIT.org).- A Cáritas da Espanha acaba de aprovar doações de 60 e 50 mil euros para apoiar os planos de reconstrução postos em andamento pelas Cáritas nacionais da República Democrática do Congo e de Moçambique para aliviar, respectivamente, os graves efeitos causados pelo terremoto que assolou a região de Bukavu no mês de fevereiro passado e as graves inundações na bacia do rio Zambeze no final de dezembro.

A intervenção da Cáritas Congolesa nesta fase de pós-emergência se centra nos setores de educação, saúde e ajuda não-perecível.

De acordo com o plano de atuação, informa a Cáritas Espanhola em seu site, as intervenções vão para reabilitar em Bukavu seis centros de saúde e um hospital, assim como onze escolas primárias e seis blocos de serviços de saúde.

A atuação da Cáritas inclui também a distribuição de lotes de medicamentos a três hospitais e 16 centros de saúde, e a distribuição de material de abrigo a aproximadamente 1.500 famílias.

A Cáritas Congolesa estima que a atuação no campo da saúde permitirá atender uma população de 500.000 pessoas, enquanto as escolas reabilitadas farão possível que cerca de 6.000 alunos possam reiniciar com normalidade suas atividades escolares.

Em Moçambique, as graves inundações de dezembro de 2007 do rio Zambeze afetaram 285.000 pessoas e deixaram sob as águas cerca de 84.000 hectares de cultivos.

Para enfrentar as perdas desta catástrofe natural, a Cáritas Moçambique lançou um plano de reconstrução para 3.000 famílias, que conta com o apoio financeiro das Cáritas da Espanha, Irlanda e Reino Unido.

Entre as atividades que serão colocadas em andamento nas dioceses de Chimoio, Beira, Quelimane e Tete, destacam-se a construção de moradias e a reabilitação de instalações comunitárias, a recuperação dos sistemas de canalização de água potável e das redes de saneamento, e a recuperação da atividade agrícola das áreas afetadas pelas inundações.

O período previsto de execução deste plano é de um ano. A ajuda que a Cáritas Espanhola acaba de aprovar se une a outra contribuição anterior à Cáritas Moçambique para responder a esta emergência, no valor de 100 mil euros.