“Caritas Express”, um trem histórico no Vaticano

Viagem comemorativa do 60º aniversário da Caritas Internationalis

| 1084 visitas

ROMA, terça-feira, 10 de maio de 2011 (ZENIT.org) - O Caritas Express partirá do Vaticano para Orvieto no próximo 21 de maio, às 10 da manhã, quando a fronteira ferroviária entre a Itália e o Vaticano será aberta para celebrar o 60° aniversário da fundação da Caritas Internationalis.

A viagem tem o objetivo de sensibilizar o público e arrecadar fundos para os diversos projetos humanitários da Cáritas e fará o trajeto Vaticano-Orvieto. O destino, que abriga o famoso santuário mariano, receberá a 19ª Assembleia Geral da Cáritas, de 22 a 27 de maio. O trem de cinco vagões fará a parada final no entardecer do mesmo dia na estação central de Roma, a Stazione Termini.

A viagem é histórica por causa do conteúdo humanitário, mas também pela novidade do evento, que deverá despertar a curiosidade do grande público e chegar a jornais e televisões de todo o mundo.

O trem será puxado por locomotivas históricas, a vapor e elétricas, que se alternarão à frente de vagões também históricos: um de primeira classe e dois segunda, mais um presidencial e outro de serviço. Viajarão diplomatas, políticos e pessoas que estão doando dinheiro mediante a compra das passagens.

A Cidade do Vaticano possui dentro das suas muralhas uma estação de trem a poucos metros da basílica de São Pedro, com 300 metros de bitola e três ramais raramente usados.

O Tratado de Latrão, assinado em 1929, reconheceu a soberania da Cidade do Vaticano e determinou em seu artigo 6º que a Itália construísse uma estação ferroviária em seu interior. 

Inaugurada em 1934, a linha do Vaticano se conecta com a linha italiana nos arredores da estação romana de San Pietro. É a linha ferroviária internacional mais curta do mundo, com 862 metros.

Pio IX, ao vê-la em construção, disse que era “a estação mais bela do mundo”, apesar de nunca ter viajado na linha nem ter visto o trem em funcionamento.

Sua decoração consiste em oito colunas de mármore verde talhados no mesmo bloco. 

João XXIII foi o primeiro pontífice que usou a linha, para viajar até Assis em 1962, no trem presidencial italiano. O vagão que ele utilizou fará parte do Caritas Express

João Paulo II viajou em duas oportunidades, em 1979 e 2002. 

Participam do projeto o Governo da Cidade do Vaticano e as ferrovias italianas, que põem à disposição gratuitamente pessoal e trens para permitir a arrecadação de fundos. 

As Ferrovias do Estado colaboram com a Cáritas mantendo um lar para indigentes nas proximidades da estação central de Roma.

Outra curiosidade do projeto é que o embaixador australiano na Santa Sé, Tim Fisher, ex-diretor de uma empresa ferroviária e apaixonado por trens, contribuiu a título pessoal na promoção do projeto Caritas Express.