Caritas: muito perigoso trabalhar em Gaza

Clínica Móvel e Centro de Saúde suspendem atividades

| 906 visitas

ROMA, quarta-feira, 21 de novembro de 2012 (ZENIT.org) – Na medida em que a violência na Faixa de Gaza continua a crescer, a Caritas Jerusalém diz que a área é muito perigosa para que a clínica móvel e o centro de saúde funcionem plenamente.

O grupo regional da Caritas trabalha com centros de saúde em Gaza, incluindo uma clínica móvel que teve suas atividades suspensas alguns dias atrás, quando a situação no país piorou, e um centro médico, que agora também suspende parcialmente as operações, devido ao risco de vida para a equipe médica.

A Caritas tem a intenção de continuar a servir o povo de Gaza enquanto as operações das unidades de saúde estão suspensas. Além de alimentos e água, a agência está planejando o fornecimento de kits médicos a 180 agentes comunitários que foram treinados em primeiros socorros para situações de emergência.

Mas uma resposta de emergência em Gaza só será possível uma vez que a situação hostil cesse e a fronteira seja reaberta. No caso de uma invasão por terra, pode ser uma questão de várias semanas.

"O que podemos fazer agora é rezar e também condenar a violência, porque não traz uma solução para o conflito Israel-Palestino", disse o bispo auxiliar William Shomali de Jerusalém.  Rezar como Jesus fez.

Neville Kyrke-Smith, diretor da instituição Ajuda à Igreja que Sofre, do Reino Unido, confirma a avaliação do Bispo.

Kyrke-Smith estava conduzindo uma peregrinação na Terra Santa quando um alto comando militar foi morto em Gaza (dia 14), um evento que aumentou o conflito.

Convidando todos a rezar neste domingo, Festa de Cristo Rei, Kyrke-Smith disse: "O atual conflito poderia ser a vela que acende o pavio de um conflito ainda maior no Oriente Médio.

"A comunidade cristã não deve ficar esperando que conflitos como esse terminem por si só. Temos que agir agora pelos povos do Oriente Médio e incentivar os nossos políticos a fazer o mesmo”.

"Nosso Senhor rezou pela pazem Jerusalém. Nóstambém devemos rezar pela paz em Jerusalém e no resto do Oriente Médio".

(Trad.MEM)