Cáritas salva vidas em Darfur formando parteiras

Mortalidade em torno do nascimento é muito mais alta na região

| 869 visitas

NYALA, sexta-feira, 7 de março de 2008 (ZENIT.org).- Por ocasião do dia 8 de março, jornada dedicada às mulheres, Cáritas Internacional difundiu uma reportagem sobre o trabalho que a instituição desenvolve entre as mulheres de Darfur (Sudão) que auxiliam nos partos, dando-lhes preparação para ajudar que os nascimentos sejam mais seguros, salvando vidas de mães e filhos. Nessa região, a mortalidade em torno do nascimento é muito alta.

«Não havia ninguém em toda a aldeia para ajudar quando minha irmã grávida me disse: “Quero dar à luz”. Eu a assisti no parto e depois disso me fiz ajudante de partos», recorda Hawa, uma parteira tradicional agora chamada “avó”».

Nas áreas rurais e campos de Darfur -- informa Cáritas Internacional --, muitas crianças nasceram em casa, com mães que às vezes são auxiliadas por uma parteira, e mais freqüentemente por uma ajudante de parto tradicional. Essas mulheres podem ou não ter tido um treinamento prévio.

Hawa foi obrigada a deixar sua aldeia natal em Darfur ocidental há três anos, devido ao conflito na região. Agora vive em um campo para desabrigados em Kubum, Darfur do Sul, onde segue trabalhando, ajudando três ou quatro mães a dar à luz seus bebês a cada semana.

«Muitas ajudantes tradicionais de parto, especialmente as mais velhas, são também analfabetas, nunca receberam uma preparação formal. Inclusive as mais jovens ajudantes de parto normalmente só recebem três meses de treinamento e têm um tipo similar de equipamento básico.

Nos últimos três anos, ACT-Cáritas criou serviços de atenção a mães e crianças em todas as suas instalações de saúde ao longo de Darfur do Sul e Ocidental. Os centros oferecem serviços pré e pós-natais, educação sanitária, facilidades de nascimento seguro e assistência levada a cabo por parteiras preparadas.

A manutenção de um registro foi introduzido nas clínicas há dois anos ainda que o registro de nascimento não é muito praticado fora das cidades de Darfur. O informe é limitado mas os resultados revelam um alarmante índice de mortalidade infantil e materna.

Após o treinamento de 82 parteiras e ajudantes de parto tradicionais no final do ano, e devido às grandes necessidades, durante fevereiro e março, ACT-Cáritas treinará outras cem mulheres. Na semana passada, um grupo de 50 parteiras de todas as idades viajaram desde todo o Sul de Darfur para participar de um curso de cinco dias de revisão e treinamento em Nyala.