Casamento: o que dom Vincenzo Paglia realmente disse

Esclarecimentos do Pontifício Conselho para a Família sobre batismo, direito e discriminação

Roma, (Zenit.org) Anita Sanchez Bourdin | 1311 visitas

Uma polêmica vem tentando distorcer o sentido das palavras ditas nesta segunda-feira, 4 de fevereiro, durante uma conferência de imprensa no Vaticano, por dom Vincenzo Paglia, presidente do Pontifício Conselho para a Família.

Em breve entrevista a Zenit, o dicastério vaticano apresenta os seguintes esclarecimentos.

"Através do batismo, todo homem é filho de Deus, e, neste sentido, é sagrado e intocável. Dom Paglia evoca com estas palavras a santidade ligada ao batismo. Na ordem da natureza, todo homem é criado, querido por Deus e amado por Deus. Ao afirmar isto, dom Paglia não nega que se possa desfigurar a imagem de Deus por meio do pecado".

"Sobre o direito, trata-se de uma questão patrimonial. Dom Paglia não disse que devamos promover os direitos das pessoas homossexuais. Se existem disposições que se aplicam a qualquer cidadão, não é o caso, segundo ele, de sair à caça de novas disposições no direito matrimonial".

"Quando o bispo afirma que existem graves discriminações contra pessoas homossexuais (em alguns países a homossexualidade é considerada um crime), não significa que ele reconheça uma comunidade humana chamada "grupo homossexual". O magistério fala sempre de pessoas homossexuais. Com esta base, é totalmente normal rejeitar a grave discriminação contra pessoas devido à sua orientação sexual. No tocante ao matrimônio, não se trata de discriminação, porque o matrimônio não é um direito absoluto, mas relativo. Ele está sujeito a determinadas condições, em particular a da procriação".