Catecismo da Igreja Católica é traduzido para idioma do Camboja

Vigário apostólico de Phnom Penh aplaude iniciativa

Roma, (Zenit.org) | 1152 visitas

O Catecismo da Igreja Católica traduzido para a língua khmer "será uma ferramenta valiosa para todas as comunidades e associações de fiéis, para aprofundar o conteúdo do credo e da doutrina católica, no Ano de Fé", afirmou à Agência Fides o vigário apostólico de Phnom Penh, dom Olivier Schmitthaeusler, na conclusão do congresso organizado pelo Vicariato Apostólico para o Ano da Fé sobre "O Concílio Vaticano II e a Igreja".

Os participantes ouviram uma mensagem em vídeo enviada pelo Santo Padre Bento XVI, que encorajou os cristãos do Camboja a "se sentirem realmente parte da Igreja universal".

Por ocasião do congresso, os documentos do Vaticano II traduzidos em língua khmer foram apresentados como "recurso para o estudo e para a meditação", que ajudarão a compreender o papel da Igreja cambojana na dinâmica pós-conciliar.

Dom Schmitthaeusler explicou que a comunidade local escolheu refletir especialmente, neste ano, sobre o documento Lumen Gentium, para lembrar aos fiéis que "a Igreja é Povo de Deus e os fiéis são chamados à santidade".

O catecismo em khmer será ainda uma ferramenta valiosa para a evangelização.
A Igreja do Camboja representa 1% da população num país 96% budista, e está experimentando novamente a época dos Atos dos Apóstolos: “é um laboratório da Boa Nova num mundo budista", diz o vigário, que, durante o congresso, destacou os dois pontos importantes para a nova evangelização no país que sofreu a cruel perseguição do Khmer Vermelho: perdão e compromisso dos leigos.

"O verdadeiro encontro com Cristo abre o coração ao amor e à experiência do perdão, para nos levar à descoberta do dom da vida. Os leigos são os apóstolos deste anúncio", membros ativos de uma Igreja que é apreciada no país porque "toca o coração, é simples, amigável, orante e alegre".