Catequese para Adultos: uma catequese em tempos de mudança

"A catequese permanente para adultos é um repensar e discernir o pluralismo social e cultural que vivemos."

Brasília, (Zenit.org) José Barbosa de Miranda | 1242 visitas

O que restou da minha infância

O que foi feito da catequese que recebi para a Primeira Eucaristia? Por que fugi da Igreja e permaneço ausente, agora como adulto? O próprio indivíduo, tanto homem como mulher, no seu interior, tem uma vaga recordação dessa fase da vida. Parece que gostaria de reviver aqueles momentos, mas faltam oportunidades e coragem, ou quem sabe, alguém que o ajude nesse recaminhar. Vivemos em um mundo de profundas e rápidas transformações. E essas mudanças afetam, no primeiro momento, a fé, pela contraposição de valores e colocações de meias verdades. Surge, com isso, a necessidade de uma atualização evangélica seguida de catequese inculturada.

O mundo interfere na minha fé

O Documento de Aparecida desnuda essa realidade com a seguinte reflexão: “Na evangelização, na catequese e, em geral, na pastoral, persistem também linguagens pouco significativas para a cultura atual e em particular para os jovens. Muitas vezes as linguagens utilizadas parecem não levar em consideração a mutação dos códigos existencialmente relevantes nas sociedades influenciadas pela pós-modernidade e marcadas por amplo pluralismo social e cultural. As mudanças culturais dificultam a transmissão da Fé por parte da família e da sociedade. Frente a isso, não se vê uma presença importante da Igreja na geração de culturas, de modo especial no mundo universitário e nos meios de comunicação social” (Documento de Aparecida, n. 100d).Se houve mudanças de época, é urgente que, também, haja mudança na comunicação da fé. Não mudança da fé, mas do processo de transmiti-la.

Contraposição dos valores

A mídia difunde informações fundadas nos princípios de seus alimentadores, e os usuários as assimilam como novidades a serem seguidas e, em algumas vezes, como dogmas que devem ser norteadores da sociedade pós-moderna. É importante que haja oportunidade de confrontos com outras informações, com outros princípios. Pode ser uma catequese de confronto, mas não de disputa, fornecendo dados para a formação de juízo equilibrado e maduro. Não basta dizer que a Igreja é ultrapassada e não se atualiza, sem antes conhecê-la. É preciso aprofundar nos princípios seculares que geraram famílias e sociedades justas. A catequese permanente para adultos é um repensar e discernir o pluralismo social e cultural que vivemos.

Se a catequese inicial não foi suficiente para “ajudar as pessoas no caminho rumo à maturidade na fé, no amor e na esperança” (DNC, n. 146), é preciso redescobrir essas metas nas trilhas da catequese permanente para adultos. A mesma verdade tem o dinamismo do Espírito Santo agindo nessa sociedade em mudanças. Por que não contrapor com os valores evangélicos, sazonados na vida da Igreja, ao pluralismo social e cultural, num diálogo caridoso e aberto? A catequese não é estanque, acompanha a sociedade, a família, as pessoas nos diversos estágios de sua vida, por isso é uma companheira fiel, amiga e necessária.

Uma catequese adulta para adultos

Aqui se trata dos objetivos de uma séria de artigos que publicaremos: uma catequese adulta com adultos. Os problemas atuais que afrontam a fé dos adultos, no seu dia-a-dia. Os desafios para seguir a Jesus de Nazaré. Emílio Alberich, sobre a catequese com adultos, enfoca: Aqui está, talvez, a novidade mais significativa da mudança pós-conciliar. Não só sublinha a urgência da catequese com adultos, mas sobretudo se insiste na necessidade de uma catequese que já não seja extensão da catequese infantil aos adultos, mas que se trate efetivamente de uma catequese adulta, isto é, que se tenha em conta e respeito realmente a condição e  as exigências dos adultos (Conferência proferida na Segunda Semana Brasileira Catequese, sob o título MODELOS DE CATEQUESE COM ADULTOS. Estudos da CNBB n. 84).

Há um grande diferencial entre catequese infantile adulta, uma catequese de iniciação cristã (sacramental) e a catequese que amadurece a fé, constrói o amor e faz Igreja. Não se pode contentar em dizer que Jesus foi o maior homem da história, mas é necessário entrar na sua vida como ele entrou na nossa. O seu mistério foi revelado para que seja modelo de vida para todos. Se pessoas mudaram o seu jeito de ser é porque se deixaram envolver por Ele.

Catequese de adultos é uma decisão adulta. É a coragem de abrir folhas ainda não lidas ou que se apagaram de nossa história.

José Barbosa de Miranda é Diácono Permanente na Arquidiocese de Brasília. Bacharel em Teologia pela PUC-Goiânia. Pós-graduado em Catequese pelo Centro Universitário Salesiano – UNISAL – São Paulo. Professor na Faculdade de Teologia da Arquidiocese de Brasília. Colaborador na formação dos  noviços do Seminário São Luiz Orione, de Brasília.