Cavaleiros cristãos para trabalhar pela paz

Aprova-se a Associação «San Jordi» na República Dominicana

| 1158 visitas

SANTIAGO DE LOS CABALLEROS (REPÚBLICA DOMINICANA), sexta-feira, 26 de outubro de 2007 (ZENIT.org).- A «Associação San Jordi», formada por batizados que assumem o «estilo dos cavaleiros cristãos», foi erigida canonicamente na Arquidiocese de Santiago de los Caballeros (República Dominicana).



O arcebispo Ramón Benito de la Rosa e Carpio acolheu esta Associação que toma o nome de São Jorge, mártir da Capadócia e padroeiro de Catalunha (Espanha), lugar onde a associação tem suas raízes.

Diego López Luján, mestre em Teologia Moral e presidente da associação, explica a Zenit que «se escolheu este nome pelo cavalheirismo cristão, luta contra o mal e busca da paz que esse santo encarna».

Esta entidade, que começou a tomar forma em uma viagem do Pe. Alfredo Rubio de Castarlenas à América em 1988, organiza atividades culturais e sociais que favoreçam a paz e ajudem a superar «qualquer forma de desprezo da pessoa, injustiça ou abuso de poder».

Defende especialmente a dignidade das mulheres, crianças, idosos e marginalizados, com base nos princípios e fundamentos da «Carta da Paz dirigida à ONU» (www.cartadelapaz.org).

O principal objetivo da Associação San Jordi é «a promoção de batizados que, cada um segundo sua vocação específica, trabalhem para a construção do Reino de Deus no meio do mundo, com uma espiritualidade na contemplação, entendida esta como amplos espaços de solidão e silêncio».

E acrescenta: «também são animados a cultivar as virtudes teologais – fé, esperança e caridade – e as cardinais – fortaleza, justiça, prudência e temperança».

A associação cria centros chamados «Casas San Jordi e Santiago», para pessoas que queiram viver sua espiritualidade e estilo de vida.

Ajuda seus membros a «formarem-se como pessoas e como cristãos maduros», «desenvolvendo seus talentos na Igreja e na sociedade em diversos apostolados, com a criatividade própria dos leigos, sempre em fidelidade às diretrizes e orientações pastorais da própria diocese», acrescenta o presidente.

Os membros estão, por sua vez, abertos a acolher o chamado de um bispo ao sacerdócio ministerial desde um novo estilo, como cavaleiros cristãos.

Dessa forma, nesses centros se formam também pessoas que desde o começo tenham decidido ser sacerdotes. O primeiro desses centros iniciou sua caminhada durante o presente curso acadêmico, na arquidiocese de Santiago de los Caballeros.