CD da JMJ Rio 2013 é lançado pela CNBB

Em parceria com produtoras católicas

| 1490 visitas

BRASÍLIA, sexta-feira, 4 de novembro de 2011 (ZENIT.org) – A colaboração entre a CNBB e as produtoras católicas de música resultou no primeiro dos três CDs especiais de preparação para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em 2013, no Rio de Janeiro.

O primeiro fala da peregrinação da Cruz da JMJ e do Ícone de Nossa Senhora pelas dioceses do Brasil. No peito eu levo uma cruz é um álbum com treze músicas católicas conhecidas, relacionadas com a cruz e Maria, cantadas por vozes como Ziza Fernandes, José Vicente, o padre Fábio de Melo, entre outros.

Mas o destaque do disco é uma versão de Nova Geração, do padre Zezinho, cujo estribilho dá nome ao CD. Também há uma aplicação interativa com imagens, música e o clip da música-tema.

A canção começa com a voz do compositor, em sua primeira gravação nos anos 70. A música segue nas vozes de cantores de diferentes estilos musicais de várias partes do país e termina de novo com a voz do padre Zezinho, quase 40 anos depois. O coro é em ritmo de samba, homenageando a cidade que acolherá a próxima Jornada Mundial da Juventude.

A gravação aconteceu em reunião histórica dos cantores católicos, nos estúdios das Edições Paulinas, em São Paulo, no último 21 de junho. Mais de 80 músicos compartilharam suas experiências na missão de evangelizar através da arte.

O assessor nacional da juventude da CNBB, padre Carlos Sávio Ribeiro, diz que a Igreja no Brasil vive um momento privilegiado em relação à evangelização da juventude, o que foi confirmado pela participação do Brasil em Madri, com quase quinze mil jovens registrados, e principalmente pela escolha do Rio como sede do próximo evento.

O clip de Nova Geração pode ser visto no YouTube

Em 13 e 14 de outubro, os responsáveis pelo setor de juventude em todo o país se reuniram nas Pontifícias Obras Missionárias, em Brasília. Na agenda, a organização da peregrinação dos símbolos da JMJ, a elaboração dos projetos da pré-jornada, uma semana antes, e um estudo sobre o que é a Jornada, seus objetivos, informes, avisos e como fazer com que o seu desenvolvimento atinja a juventude do Brasil e do mundo.

“Este encontro ajuda a projetar a Jornada da Juventude no Rio, e também nos informa da situação da juventude em cada região, para podermos traçar um trabalho que realmente alcance os jovens”, disse o padre Sávio.

Segundo o assessor, uma das preocupações do grupo é uma Jornada que não se limite ao acontecimento: “Estamos elaborando um projeto que pensa na JMJ não só no período do evento, mas em três momentos básicos, antes, durante e depois, através de um projeto de evangelização que deve durar até 2015”.