Cem anos do Instituto Superior de Ciências Religiosas Mater Ecclesiae

19 e 20 de abril: "Juntos para agradecer e planejar o futuro"

Roma, (Zenit.org) | 671 visitas

Cem anos atrás, a jovem universitária Luigia Tincani lançava uma iniciativa que se manifesta hoje no Instituto Superior de Ciências Religiosas Mater Ecclesiae. Tincani, que mais tarde fundaria as Missionárias da Escola, queria oferecer às suas jovens colegas e amigas de escola a possibilidade de uma formação teológica e espiritual em paralelo à formação cultural e profissional oferecida em sala de aula.

"A essência do nosso programa é uma só, mas será sempre maior, como ocorre com todo ser vivo que nasce e que deve crescer: mais e mais círculo, mais e mais feminino, mais e mais universitário, mais e mais católico".

“Círculo” diz respeito "aos costumes afetuosos, à familiaridade alegre e carinhosa das reuniões"; "universitário" porque "aprendemos a responsabilidade individual e social abraçando o estudo, que nos obriga a conquistar uma verdadeira cultura, e aprendemos a responsabilidade social e individual que esta cultura exige de nós"; "feminino" porque "queremos que as mulheres sejam mulheres, fiéis à missão que lhes foi confiada por Deus, à missão da maternidade espiritual, unida ou não à maternidade segundo a carne"; e "católico" para que a nossa fé "se torne a força vital, o sangue vivo e vivificante que circula em nós e que alimenta toda a nossa vida prática, intelectual e moral".

Depois do Vaticano II e da proclamação de Maria como Mãe da Igreja pelo papa Paulo VI, o Instituto de Ciências Religiosas foi batizado de Maria Mater Ecclesiae.

Os programas e disciplinas foram mudando de acordo com as disposições e documentos da Igreja que regulam o estudo da teologia para leigos. Os professores, teólogos de renome, adotam o programa de "pensar" uma teologia "não clerical" e em diálogo com o mundo laico.

Os estudantes também foram mudando ao longo do tempo: moças e rapazes universitários, profissionais, jovens e adultos pesquisadores, religiosas, pessoas desejosas de se dedicar ao ensino da religião nas escolas ou ao apostolado catequético, pessoas que se importam com o próprio caminho integral de crescimento.

Sobre toda essa trajetória é que a Mater Ecclesiae quer refletir em 19 e 20 de abril, "juntos para agradecer e projetar o futuro".