Cessar-fogo em Gaza permite à Cáritas desempenhar seu trabalho de ajuda

| 918 visitas

JERUSALÉM, quarta-feira, 21 de janeiro de 2009 (ZENIT.org).- O cessar-fogo na Faixa de Gaza permitiu à rede Cáritas na área retomar, nas mínimas condições de segurança, seus trabalhos de ajuda humanitária às vítimas que se encontram em situação mais precária.

De acordo com as primeiras estimativas de Cáritas Jerusalém, ao menos um sexto dos edifícios de Gaza foram destruídos pelos bombardeios israelenses, incluídas moradias particulares, escolas e centros de saúde, como no caso da clínica de Cáritas em Al Maghazi, arrasada por um ataque aéreo no dia 9 de janeiro.

As necessidades das vítimas são urgentes. Cáritas Jerusalém estima que quatro em cada cinco habitantes de Gaza (1,5 milhão de pessoas) necessitam sem demora de algum tipo de ajuda humanitária procedente do exterior da Faixa. 

A este estado crítico no campo material soma-se o grave impacto psicológico que a ação militar impôs para um número imenso de famílias que sofreram a perda de alguns de seus entes queridos.

De acordo com as prioridades estabelecidas por Cáritas Jerusalém no seu plano de resposta humanitária, os esforços de toda equipe local se dirigem, neste momento, a proporcionar atenção médica e produtos de primeira necessidade a 4 mil famílias (cerca de 25 mil pessoas) das comunidades mais vulneráveis.

Atualmente, Cáritas mantém operando em Gaza cinco centros médicos de atenção primária e uma unidade móvel.

O plano de emergência lançado por Cáritas Jerusalém conta com um orçamento de 2 milhões de dólares, no qual, junto com as ações assinaladas, contempla-se também a distribuição de material médico de urgência a quatro dos hospitais da Faixa mais afetados pela carência de material provocada pelo bloqueio.