Cidadãos têm de estar preparados para exercício do voto, diz bispo em Angola

| 788 visitas

LUENA, domingo, 8 de julho de 2007 (ZENIT.org).- O bispo da diocese angolana do Luena considera que a realização de Congressos Pró Pace diocesanos é a contribuição da Igreja Católica na preparação dos cidadãos para uma participação mais ativa e responsável na vida pública de Angola, refere Agência Ecclesia.



Durante a sessão de abertura do Congresso Pró Pace na sua Diocese, a decorrer nesta semana, D. Gabriel Mbilingue referiu a importância de um país com cidadãos preparados para o exercício do voto e da democracia de maneira geral.

«Ao organizar encontros desta natureza, é intenção da Igreja preparar os cidadãos, independentemente das suas opções religiosas ou partidárias, para as próximas eleições, iluminar e encorajar a sua intervenção na vida pública da Nação, através de uma participação que se requer livre e ativa, a fim de restabelecer cada vez mais a paz nos corações de todos os angolanos e consolidar o processo de reconciliação nacional», disse.

O prelado referiu-se às eleições como um instrumento básico da democracia e da consolidação da paz que, «como se sabe, não consiste só no calar das armas, mas também, na livre circulação de pessoas e bens em todo o País, na produção de bens e serviços, na criação de condições essenciais, como por exemplo: habitação, vestuário, educação, saúde, alimentação, criação de novas oportunidades de vida, etc».

O Congresso Pró Pace no Luena aborda as temáticas, “Democracia e Desenvolvimento, “Democracia e Alternância do Poder”, Democracia e Eleições, “Democracia e Direitos Humanos”, “Democracia e Oposição”, “Democracia e Cidadania” e “Unidade na Pluralidade”. Alguns dos palestrantes como o professor universitário Justino Pinto de Andrade (Democracia e Alternância do Poder), o engenheiro Ramos Buta (Democracia e Oposição) e o jurista Amândio Kalesi (Democracia e Desenvolvimento) viajaram de Luanda para enriquecer os debates.

Da conferência participam mais de uma centena de pessoas, entre religiosos e religiosas, funcionários públicos, autoridades tradicionais, políticos e governantes, provenientes de toda a Província do Moxico.

A União Européia e as agências holandesa, Cordaid e irlandesa, Trocaire, financiam o projeto “Construtores da Democracia” – Congresso Pró Pace, com cerca de 160 mil Euros.