CNBB entrega mais de 865 mil assinaturas para o Comitê Saúde +10

Brasília, (Zenit.org) | 401 visitas

Em ato público na manhã deste dia 5 de agosto, em que se comemora o Dia Nacional da Saúde, o secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, realizou a entrega solene de 865.118 assinaturas, coletadas pela Conferência nas comunidades de todo o país. Estas assinaturas – já auditadas, se somarão às coletadas pelas outras entidades que integram o Comitê Saúde + 10, que apresentará ao Congresso Nacional o Projeto de Lei de iniciativa popular pela destinação de 10% das receitas correntes brutas da União para a Saúde Pública.

“Este nosso esforço quer mostrar que a saúde é um direito de todos os filhos e filhas de Deus, especialmente das regiões mais carentes”, explicou dom Leonardo. Desde março de 2012, dezenas de entidades estão engajadas na coleta de mais de 1,4 milhão de assinaturas para viabilizar a apresentação do projeto ao Congresso. Emocionado, o presidente da Federação Nacional dos Farmacêuticos, Ronald Ferreira, que coordena o Saúde +10, fez na solenidade um balanço da iniciativa. “Vemos aqui o povo brasileiro que toma para si a responsabilidade de ser protagonista de sua própria história”. De acordo com Ronald, a expectativa é de que o balanço final pode passar de 1,9 milhão de assinaturas coletadas pelas diferentes entidades. “Os brasileiros estão dizendo que querem uma saúde mais 10! É uma proposta que não pertence a uma entidade, a um governo ou oposição, mas é um desejo de todo o povo”. Também estavam presentes na solenidade o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcus Vinicius Furtado Coêlho e a presidente do Conselho Nacional da Saúde, Maria do Socorro de Souza.

Integram o Movimento Saúde + 10 mais de uma centena de entidades, entre elas o Conselho Nacional de Saúde (CNS), Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (CEBES), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conselho Federal de Medicina (CFM), Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Fonte: CNBB