Colômbia: homenageadas as vítimas do conflito armado

A Cáritas reafirma o seu compromisso e apoia as conversações de paz

Madri, (Zenit.org) Ivan de Vargas | 257 visitas

Foi celebrada, neste dia 9 de abril, a Jornada Nacional de Memória Histórica e Solidariedade para com as Vítimas do Conflito Armado na Colômbia. A data coincide com um momento histórico para o país: as atuais conversações de paz entre o governo e as FARC poderiam dar fim ao conflito armado mais longo do continente, que já dura cinquenta anos e que deixou 220.000 mortos, além de provocar a saída de 5,4 milhões de pessoas do país e o deslocamento interno de outros 5,2 milhões de colombianos.

Por ocasião da jornada, a Cáritas Espanhola reafirmou em comunicado o seu compromisso com "um dos países mais castigados pela violência", bem como o seu apoio ao trabalho que a Igreja desenvolve "para apoiar a paz e a reconciliação que, agora, está mais próxima do que nunca". A Conferência Episcopal da Colômbia (CEC) também "mantém viva a esperança de que estas negociações tragam um futuro melhor para o país", completa a nota.

A Igreja, que sempre manifestou a convicção de que a paz na Colômbia só seria obtida pela via do diálogo e da justiça social, "tem sido, nestas cinco décadas, um dos agentes mais importantes da reconciliação".

Com a colaboração de todos –Igreja, instituições da sociedade civil e movimentos cidadãos–, "a sociedade colombiana tem conseguido superar muitas dificuldades e avançar com passos firmes rumo à paz". Nesta linha se insere o trabalho da Cáritas Colombiana, que não deixou de desenvolver um trabalho ativo em favor desse processo através dos programas de direitos humanos, da educação para a paz, da resolução de conflitos e de várias iniciativas para envolver a sociedade civil na luta pelo fim da violência e pela reconciliação.

A Cáritas Espanhola apoiou constantemente esse trabalho desde a década de 1980, em parceria com o Secretariado Nacional de Pastoral Social/Cáritas Colombiana, dando acompanhamento à população vítima do conflito.

Durante as três últimas décadas, a organização eclesial realizou projetos de desenvolvimento socioeconômico, de fortalecimento da sociedade civil, de assistência à população deslocada, de construção da democracia participativa e de defesa dos direitos humanos.

Para recordar o trabalho destes trinta anos, foi lançado nesta quarta-feira o vídeo “Cáritas na Colômbia: trabalhando pela paz”, que, através do testemunho de representantes da Igreja, de líderes comunitários, de trabalhadores e de beneficiários dos programas da Cáritas, mostra o trabalho de promoção dos direitos humanos e de fortalecimento da democracia que a entidade tem feito em regiões castigadas pela violência. É um documentário sobre a realidade de um país que, apesar do sofrimento, está preparado para a reconciliação.