Começa a comemoração dos 500 anos de Santa Teresa de Ávila

Congresso internacional sobre a santa poderá ser acompanhado pela internet

| 1384 visitas

Por Miriam Díez i Bosch

ÁVILA, segunda-feira, 23 de agosto de 2010 (ZENIT.org) - Teresa de Jesus (1515-1582) será recordada de forma intensa a partir deste mês de agosto até 2015, quando se completarão os 500 anos de seu nascimento. O primeiro ato internacional para preparar o centenário é um congresso sobre o "Livro da Vida", que será transmitido ao vivo pela internet.

Desta forma, centenas de religiosas carmelitas poderão acompanhar o congresso em seus conventos do mundo inteiro. A iniciativa está aberta a todas as pessoas interessadas.

O congresso começa hoje, 23 de agosto, em Ávila, com uma exposição na qual será possível observar por algumas horas o manuscrito original que a santa mística concluiu em 1562, conservado no Escorial.

Para aprofundarmos nos preparativos deste congresso que será possível acompanhar pela internet, ZENIT entrevistou o diretor da Universidade da Mística e da Fundação CITES (Centro Internacional Teresiano y Sanjuanista), o carmelita descalço Javier Sancho Fermín.

ZENIT: O "Livro da Vida" de Santa Teresa é um livro que "converte". Será falado do impacto deste livro no itinerário espiritual de Edith Stein, por exemplo, e em outros convertidos?

Javier Sancho: Certamente é uma questão que aparecerá, porque faz parte da história viva desta obra teresiana. Em concreto, uma das atividades do congresso será precisamente um concerto de oração que acontecerá na noite do dia 28 de agosto e que terá o nome: "Do Livro da Vida ao Livro da Verdade. O impacto de Teresa em Edith Stein". Nesta oração-concerto, será apresentado oficialmente um CD sobre cantos inspirados em pensamentos de Edith Stein, que foram compostos por Carmela Marínez. O CD sairá possivelmente antes do Natal e está sendo patrocinado pela Fundação CITES.

Ainda que não se fale de outros "convertidos" diretamente, falarão, sim, da incidência que pode ter hoje o "Livro da Vida" nos diferentes âmbitos da vida: na política, na família, nos jovens, na vida consagrada... O que se pretende, definitivamente, é descobrir essa vivacidade e atualidade que Teresa continua tendo.

ZENIT: Quinhentos anos depois do nascimento de Santa Teresa... Como você explicaria sua importância para alguém que nunca ouviu falar dela?

Javier Sancho: Por muitos motivos, mas explicitamente destacaria dois: porque Teresa é uma mulher que se preocupou profundamente pela dignidade da pessoa humana, e em sua experiência com Deus é capaz de dar luz ao mistério mais profundo e desconhecido da interioridade da pessoa humana.

Também porque, em um mundo com crescente sede de espiritualidade, ela é professora experiente e autêntica: não é uma mulher de teorias, mas de vida provada. E porque, como ninguém, ela nos ajuda a descobrir o Deus amigo e senti-lo perto de nós.

ZENIT: O Congresso permitirá que muitas religiosas possam se conectar e acompanhar o congresso dos seus conventos em todos os lugares do mundo. Como esta decisão foi acolhida na ordem carmelita?

Javier Sancho: Certamente, é algo novo, mas algo em que se continua insistindo há muito tempo, especialmente nos mosteiros de religiosas carmelitas. Será uma experiência nova e uma porta aberta para iniciativas futuras. A tecnologia hoje permite isso, ainda que os custos sejam elevados. Mas confiamos que haja demanda suficiente para cobrir os gastos e poder ampliar o serviço nas próximas edições dos congressos. Neste momento, pretendemos fazer a transmissão em quatro idiomas: espanhol, francês, inglês e italiano (www.teresadeavila.net).

ZENIT: Um pastor metodista oferecerá uma visão do "Livro da Vida" do ponto de vista ecumênico, e também falará do mesmo num contexto inter-religioso. Santa Teresa como modelo para o ecumenismo e o diálogo inter-religioso?

Javier Sancho: Parece esquisito e estranho, e mais ainda porque Teresa sempre foi colocada à frente da Contrarreforma. Contudo, Teresa está tendo uma ampla ressonância no mundo das igrejas protestantes: a sede de espiritualidade e a busca de professores afeta isso. Lembro que um pastor metodista dos Estados Unidos nos confessava que, em seu seminário, o livro de formação espiritual de seus seminaristas era precisamente o "Caminho de Perfeição" de Teresa... É claro que, entre os homens e mulheres de "experiência" autêntica de Deus, há uma especial sintonia e compreensão, acima das ideias e conceitos.

Mais informações em http://www.mistica.es.