Começa o terceiro encontro entre Francisco e o Conselho de Cardeais

De hoje até quarta-feira, reuniões com os cardeais que aconselham o papa no governo da Igreja e na reforma da cúria

Roma, (Zenit.org) Rocio Lancho García | 286 visitas

Começou nesta manhã a terceira série de reuniões do papa Francisco com o Conselho de Cardeais que ele mesmo criou no dia 13 de abril de 2013 e oficializou mediante o quirógrafo de 28 de setembro. O conselho foi criado para ajudar o papa no governo da Igreja e para estudar um projeto de revisão da constituição apostólica Pastor Bonus, sobre a Cúria Romana. Este terceiro encontro entre os cardeais e o Santo Padre terminará na quarta-feira, 19 de fevereiro.

A primeira reunião do Conselho de Cardeais com Francisco ocorreu de 1º a 3 de outubro do ano passado. O pe. Federico Lombardi, porta-voz da Santa Sé, anunciou então que “devemos esperar uma nova Pastor Bonus e não retoques nem adequações de pequenas coisas (...) Será enfatizada a natureza de serviço à Igreja universal e às Igrejas locais, respeitando a subsidiariedade”.

A Pastor Bonus é a constituição apostólica promulgada pelo papa João Paulo II no dia 28 de junho de 1988. É um texto legislativo que regula a composição e as competências dos dicastérios e organismos da Cúria Romana.

Lombardi destacou também que será particularmente importante o papel “da Secretaria de Estado, que deve ser a secretaria do papa, e cujo nome, de 'Estado', não transmite a ideia e pode criar confusão”.

A segunda reunião aconteceu em dezembro, de 3 a 5. Foi o cardeal O'Malley, um dos membro do chamado C8, o encarregado de anunciar que  o Santo Padre, dando continuidade à linha empreendida por Bento XVI, tinha acolhido uma proposta do conselho para constituir uma comissão específica voltada à proteção das crianças. "Ela terá também a finalidade de aconselhar o papa sobre o compromisso da Santa Sé na proteção dos menores, na atenção pastoral às vítimas dos abusos e na denúncia às autoridades civis dos casos que ocorrerem".

O cardeal esclareceu que a comissão deverá estudar o atual estado do programa para a proteção da infância e sugerir novas iniciativas da cúria em parceria com as conferências episcopais, os bispos e as conferências de superiores religiosos, além de propor pessoas competentes para a realização dessas iniciativas, incluindo leigos, religiosos, religiosas e sacerdotes, que deverão trabalhar com o devido acompanhamento e transparência pela proteção das crianças e nas relações com as vítimas.

Os oito cardeais que compõem o conselho são o italiano Giuseppe Bertello, o chileno Francisco Javier Errazuriz Ossa, o indiano Oswald Graças, o alemão Reinhard Marx, o congolês Laurent Monsengwo Pasinya, o estadunidense Sean Patrick O'Malley, o australiano George Pell e o hondurenho Óscar Rodríguez Maradiaga, que é o coordenador do grupo.

Os cardeais não devem ser vistos como “delegados continentais”, mas como membros do colégio episcopal com uma rica experiência pastoral, já que procedem de grandes dioceses.

A reunião dos cardeais que começou hoje precede o consistório do colégio cardinalício dos dias 20 a 25, com a criação de novos cardeais. Está programada também a reunião da secretaria do sínodo nos dias 24 e 25 de fevereiro.