Compromisso da Igreja com a coesão social na Europa

Bispos e delegados das conferências episcopais responsáveis ​​pelo social se reúnem de 3 a 5 de setembro no Chipre

| 779 visitas

ROMA, quarta-feira, 29 de agosto de 2012 (ZENIT.org) - Em tempos de crise, a convivência se torna uma escolha diária, nem sempre fácil de praticar se não for inspirada pelo desejo de um projeto de vida em comum, mais que pela conveniência ou pela necessidade que as circunstâncias impõem.

Em que se baseia hoje a coesão social? Quais são os elementos que a ameaçam localmente? É possível uma Europa coesa que esqueça as próprias raízes cristãs? E qual é o papel da Igreja? Estas e outras perguntas serão discutidas em Nicósia, capital do Chipre, de 3 a5 de setembro próximo, pelos bispos e delegados das conferências episcopais europeias responsáveis ​​pelas questões sociais.

A reunião, convocada pela comissão social Caritas in Veritate, presidida por dom Giampaolo Crepaldi, bispo de Trieste, Itália, prevê a participação de 30 delegados que serão recebidos pelo arcebispo de Chipre dos Maronitas, dom Youssef Soueif.

Os trabalhos serão abertos pelo vice-presidente do episcopado europeu, cardeal Angelo Bagnasco, arcebispo de Gênova. Nos três dias de trabalhos, haverá conferências do arcebispo de Dublin, dom Diarmuid Martin, sobre A Crise da Esperança; do professor da Pontifícia Universidade Lateranense e consultor jurídico da Santa Sé junto à ONU, à FAO, à OSCE e ao Conselho da Europa, Vincenzo Buonomo, sobre A Política da Coesão Social na União Europeia, e, finalmente, de dois professores universitários e membros do parlamento do Chipre: Andreas Pitsillides, sobre Viver Juntos como Povo de Deus: uma Visão Teológica, e Marios Mavrides, sobre A Construção de uma Sociedade Justa: uma Perspectiva Econômica.

Na quarta-feira, 5 de setembro, os participantes terão um encontro com autoridades civis do país e visitarão lugares importantes da presença cristã na ilha, como mosteiros e locais religiosos e culturais. Também visitarão as aldeias maronitas de Ayia Marina, Assomatos, Karpasha e Kormakitis, na parte norte do país.

O encontro faz parte das atividades organizadas pelo governo cipriota durante a sua presidência da União Europeia. Um comunicado oficial de imprensa será emitido após a conclusão dos trabalhos.

(Tradução:ZENIT)