Concerto ecumênico do coro do patriarcado de Moscou e da Capela Sistina

Em Santa Maria Maior, como parte da XII edição do Festival Internacional de Música e Arte Sacra

Roma, (Zenit.org) Sergio Mora | 411 visitas

O coro Sinodal do Patriarcado de Moscou, juntamente com o Coro Pontifício da Capela Sistina fizeram, neste domingo 03 de outubro, um concerto em Roma, na imponente basílica de Santa Maria Maior, demonstrando as antigas tradições da música sacra Russa e da polifonia da escola romana.

Este terceiro concerto do Festival teve o coro russo composto por 48 pessoas, dentre homens e mulheres, dirigido pelo mestre Alexsej Puzakov; ao lado do da Capela Sistina, composto por uma quantidade semelhante entre crianças e adultos, e dirigido por seu mestre, Mons. Massimo Palombella.

A vigília, que viu a basílica Liberana lotada, contou com a presença do cardeal Sandri representando a Santa Sé. Por causa do evento, o purpurado argentino leu uma mensagem do Papa Francisco sobre a importância da arte e da cultura como  caminhos (diria: como sendas) que é necessário empreender e que já é possível transitar juntos neste caminho ecumênico. Entre os assistentes, estava presente também o cardeal espanhol Abril y Castelló, arcipreste da Basílica.

O coro da Sistina começou com o "Puer Natus" em gregoriano, seguido pelo 'Gloria' polifônico do papa Marcelli, o Kyrie, e outras peças musicais.

Enquanto isso, o coro Sinodal do patriarcado de Moscou começou com cantos da tradição russa que foram ‘in crescendo’ passando pelo ‘Anjo anunciou’ de Pavel Grigorevic Cesnokov até o “No teu reino’ do Metropolita Hilarion Alfeyev.

E a noitada terminou com os dois coros que interpretaram o ‘Te Deum’ de ‘Dimitri Bortnjanskij' dirigido pelo maestro Puzakov e o ‘Stabat Mater’, sob a direção do maestro salesiano Massimo Palombella, e um bis com o ‘Popule Meus’ com ambos maestros e com uma parte do texto em latim interpretado pela Sistina e a outra em grego, pelo coro sinodal do patriarcado de Moscou.

A primeira noitada do Festival foi em 29 de outubro, na Basílica de San Ignacio de Loyola, tendo como tema central a ‘Missa em Buenos Aires’ do buenairense Martín Palmieri, com o Coro da Catedral de Colônia e a Orquestra dessa cidade alemã. Seguido no dia 2 de novembro com o concerto de Vivaldi na Basílica Papal de São João de Latrão (São Giovanni in Laterano), a catedral de Roma.

O XII Festival terminará no dia 10 de novembro e terá concertos em várias basílicas romanas, com músicas de Mozart, Vivali e Frescobaldi, Bach e polifônicas, e contra com o patrocínio da fundação “Centro pelo desenvolvimento das relações Itália – Rússia”.

 Traduzido por Thácio Siqueira