Congo: seminarista jesuíta é assassinado nos arredores de Kinshasa

Um jovem estudante de Togo

| 1326 visitas

KINSHASA, segunda-feira, 13 de dezembro de 2010 (ZENIT.org) - Um seminarista jesuíta foi morto na semana passada, nos arredores de Kinshasa, capital da República Democrática do Congo.

O jovem Nicolas Eklou Kolma, natural do Togo, chegou a Kimwenza para prosseguir sua formação há dois meses, informou a Rádio Vaticano.

Em 5 de dezembro, retornando de um encontro fraterno com os dois outros jesuítas, por volta das 23h, um homem armado e vestido de militar, com o rosto coberto, dirigiu-se ao grupo em lingala.

Não entendendo as suas respostas, em francês, começou a mostrar-se ameaçador. Forçou-os a ajoelhar-se e manter as mãos para cima.

Após obrigar o jovem jesuíta a avançar um pouco, atirou nele cinco vezes, denunciaram os outros religiosos à polícia.

O corpo de Nicolas Eklou Kolma foi levado ao hospital de Monkole, dirigido pelo Opus Dei.

Nascido em 1985, em Togo, Nicolas Eklou Kolman entrou na Companhia de Jesus em 7 de outubro de 2008. Havia realizado seus primeiros votos no último dia 2 de outubro.

Seu funeral foi realizado no sábado passado, na igreja de Santa Maria de Kimwenza, e seus restos mortais foram sepultados no cemitério St Pierre Canisius, de Kimwenza.

Em 8 de novembro, dois homens armados e com uniforme militar, assassinaram o sacerdote Christian Bakulene, pároco de São João Batista de Kanyabayonga, em Kivu Norte, ao leste da República Democrática do Congo.