Congresso em Roma para mostrar que diálogo entre fé e ciência é possível

«Ontogênese e vida humana», no Ateneu Pontifício «Regina Apostolorum»

| 1049 visitas

CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 6 de novembro de 2007 (ZENIT.org).- A Santa Sé e universidades pontifícias de Roma anunciaram nesta terça-feira uma iniciativa acadêmica que se celebrará em Roma para demonstrar como é possível o diálogo entre ciência e fé.



Trata-se do congresso internacional «Ontogênese e vida humana», que acontecerá em Roma de 15 a 17 de novembro, no Ateneu Pontifício «Regina Apostolorum», instituição dirigida pelos Legionários de Cristo. Ontogênese faz referência ao desenvolvimento do indivíduo, desde sua formação embrionária até o estado adulto.

A iniciativa faz parte do projeto STOQ («Science, Theology and the Ontological Quest» – Ciência, Teologia e Intervenção Ontológica), na qual colaboram cinco universidades pontifícias romanas (Lateranense, Gregoriana, Salesiana, Santa Cruz e Santo Tomás) e o Ateneu «Regina Apostolorum».

Estas instituições acadêmicas são coordenadas pelo Conselho Pontifício da Cultura, com o apoio da «John Templeton Foundation» e de outras instituições.

Em uma coletiva de imprensa celebrada nesta terça-feira na Sala de Informação da Santa Sé, o arcebispo Gianfranco Ravasi, presidente do Conselho da Cultura, afirmou que o objetivo último do projeto é «contribuir para o diálogo entre áreas de pesquisa e de estudo, que na época moderna foram se separando pouco a pouco».

«Trata-se de instituir pontes estáveis e intercâmbios frutuosos entre ciência, filosofia e teologia, mediante o diálogo dos especialistas neste campo.»

No congresso, que se transmitirá a outros centros de pesquisa e estudo através de videoconferências, participarão cientistas, pesquisadores e estudantes.

Segundo revelou Dom Ravasi, nos primeiros cinco anos, o projeto STOQ envolveu 650 estudantes universitários de 56 países, que apresentaram 11 teses doutorais e dezenas de teses de licenciatura. Organizaram-se mais de 70 conferências públicas e 12 oficinas.

Na roda de imprensa, o padre Rafael Pascual, L.C., decano de Filosofia do Ateneu «Regina Apostolorum», explicou os motivos pelos quais se escolheu a ontogênese como argumento do congresso.

«Primeiro, porque no campo específico das ciências da vida, o Ateneu dispõe de uma faculdade de bioética, que foi a primeira no mundo», afirma.

«Em segundo lugar – acrescentou –, porque queremos desenvolver os temas da origem de cada organismo surgido de outro congresso internacional, que organizamos há cinco anos, sobre o tema da evolução, como cruzamento entre a ciência, a filosofia e a teologia.»
«O estudo da vida humana desde o ponto de vista de sua origem individual tem um interesse particular no mundo atual, no qual temos de enfrentar todas as questões bioéticas que afetam a fecundação artificial, a clonagem genética, a experimentação com células-tronco embrionárias, os embriões híbridos, etc.», concluiu.