«Contar a história de Jesus» no Camboja

| 831 visitas

PHNOM PENH, quinta-feira, 21 de junho de 2007 (ZENIT.org).- Os católicos no Camboja estão colocando em ação o que aprenderam e experimentaram no ano passado no Congresso Asiático sobre a Missão.



Em torno a 170 líderes e agentes eclesiais do vicariato apostólico de Phnom Penh reuniram-se na capital em 18 de junho para refletir sobre «Contar a História de Jesus», fazendo-se eco do congresso que se celebrou em outubro passado na Tailândia.

O padre Olivier Schmitthaeusler, das Missões Exteriores de Paris, um dos organizadores da reunião, disse a UCA News: «O Congresso Asiático sobre a Missão foi um autêntico desafio para nossa Igreja no Camboja».

Desde então, o vicariato de Phnom Penh, um dos três territórios da Igreja no país, planejou pôr em prática as conclusões do congresso, disse o sacerdote.

Esta é a primeira vez que o clero, religiosos, missionários leigos e voluntários, representantes de ONG católicas e pessoas de várias instituições eclesiais encontram-se para compartilhar como experimentaram «a história de Jesus» em sua vida pessoal, acrescentou.

A reunião aconteceu na escola Dom Bosco, dirigida por religiosas salesianas.

O bispo Emile Destombes, vigário apostólico de Phnom Penh, descreveu a reunião como um grande dia para a Igreja no Camboja. «É responsabilidade nossa reunir-nos como um corpo para testemunhar Jesus à sociedade cambojana», disse o prelado das Missões Exteriores de Paris.

«A Igreja no Camboja ainda tem um rosto estrangeiro quando comparada com outras Igrejas asiáticas», assinalou. Contudo, «nos últimos anos vimos um grande aumento no número de cambojanos que foram tocados por Jesus em sua vida e se fizeram católicos».

A Igreja cambojana está lutando por reconstruir-se após a devastadora guerra civil dos anos 70 e a brutalidade do governo dos Khmer Vermelhos guiado por Pol Pot. Os sacerdotes ou religiosos não nativos no país sobreviveram seus quatro anos de reinado do terror (1975-1979), enquanto ao menos meio milhão de pessoas foram assassinadas ou morreram por causa do mau governo.

Desde 1989, a Igreja Católica no Camboja experimentou um renascer, assim como a religião em geral. As estatísticas da Igreja contam 19.000 católicos em uma população total de 12 milhões, dos quais mais de 90% são budistas.

Além do vicariato de Phnom Penh, os outros dois territórios da Igreja no país são as prefeituras apostólicas de Battambang e Kompong Cham.