Contem a verdade sobre a Síria

Ajuda à Igreja que Sofre denuncia manipulações da imprensa ocidental

| 1237 visitas

ROMA, terça-feira, 10 de julho de 2012 (ZENIT.org) - As agências de notícias vêm abordando de maneira questionável o conflito na Síria, de acordo com a opinião de um especialista em Oriente Médio da fundação católica internacional Ajuda à Igreja que Sofre (AIS).

O padre Andrew Halemba, coordenador de projetos da AIS para o Oriente Médio, afirma que as crônicas dos meios de comunicação sobre o país deveriam ser analisadas mais criticamente: “A situação na Síria é muito mais complexa e difícil do que a mídia ocidental informa”.

“Muitas notícias estão virando pura informação descuidada (...) Parece que a mídia ignora que também existem lutas internas de poder e tensões religiosas entre os diversos grupos muçulmanos, feudos tribais, atos de vingança que acontecem todos os dias, e que o crime está aumentando no país por causa da situação instável”.

O padre Halemba diz estar em constante contato com fontes da Igreja no país. “Algumas crônicas da mídia ocidental são recebidas aqui como um grande ultraje”.

“As pessoas daqui estão se sentindo exploradas e decepcionadas com a mídia internacional. Todos acham que o Ocidente está indo atrás apenas dos seus próprios interesses”.

Halemba transmite a opinião de uma fonte da Igreja no país, que não quer ser identificada por razões de segurança. Segundo essa fonte, as imagens passadas ao mundo estão sendo manipuladas: “Somos testemunhas de vulgares falsidades, que inflam descaradamente uma pequena manifestação de cinquenta pessoas e a transformam numa manifestação bem maior, com centenas ou até milhares de pessoas (...) As fotos são montadas juntando pedaços diferentes, usando softwares de processamento de imagens criados especialmente para isso”.

A rede Al-Jazira foi acusada de falsificar imagens nas suas reportagens para aumentar o tamanho de uma multidão. Os críticos afirmam que há pessoas que aparecem na mesma foto várias vezes.

A denúncia do padre Halemba sobre a suposta manipulação de imagens acompanha a acusação do fotógrafo Marco di Lauro contra a BBC, que teria usado uma das suas fotos do Iraque em 2003 para ilustrar a situação da Síria em 2012. A foto, que segundo a BBC representaria crianças mortas no massacre de maio de 2012 em Houla, na verdade seria da época da queda de Saddam Hussein, de acordo com o próprio De Lauro. A BBC pediu desculpas e tirou a imagem do seu site ao ser acusada do erro.

O padre Halemba ressalta que a tarefa da AIS é proporcionar apoio prático aos cristãos em necessidade, e não intervir em assuntos políticos. A organização humanitária já ofereceu mais de 130.000 euros em ajudas de emergência, em primeiro lugar para as famílias cristãs em maiores riscos. O montante inclui 50.000 euros para as famílias que ficaram presas na cidade de Homs.