"Contemplar o sofrimento de Jesus é o único caminho para o perdão"

Durante a homilia em Santa Marta, papa Francisco exorta a imitar a "graça da humildade de Maria

Roma, (Zenit.org) Luca Marcolivio | 770 visitas

O perdão cristão é exercitado contemplando a paixão e humanidade de Jesus, imitando o comportamento de sua mãe. A partir disso, o Papa Francisco articulou sua homilia durante a missa desta manhã em Santa Marta, na festa do Santo Nome de Maria.

A liturgia de hoje, afirmou o Papa, já foi chamada de "doce nome de Maria", mas também hoje, embora com um nome diferente", permanece a doçura do seu nome”.

A doçura de Maria, continuou o Santo Padre, é necessária para "entender essas coisas que Jesus nos pede", ou seja, “amai os vossos inimigos, fazei o bem, emprestai sem esperar nada”. Todas as "coisa fortes" que Maria também viveu com a "graça da mansidão" e "a graça da humildade".

As mesmas virtudes são invocadas por São Paulo na primeira leitura (Col 3,12-17) de hoje, quando o apóstolo dos gentios fala de "sentimentos de ternura, bondade, humildade, mansidão". Uma disposição deste tipo não só é longe de ser óbvia, mas é impossível alcançá-la "apenas com o nosso esforço; somente a "graça" pode nos ajudar neste processo.

Esta graça passa pelo "pensar em Jesus somente " ou através de sua contemplação: se com o coração e a mente nos unimos a Ele, que venceu a morte, o pecado, o diabo", será possível conseguir o que nos pede Jesus e, da mesma maneira, São Paulo.

Nosso esforço será o de "pensar sobre o seu silêncio manso" e Jesus "fará tudo o que falta". A vida do homem está escondida "em Deus com Cristo". Não há outro caminho fora da "contemplação da humanidade de Jesus, da humanidade sofredora", continuou o Papa.

Contemplar o sofrimento de Jesus é o único caminho possível para sermos "bons cristãos”, para "não odiar o próximo", para “não falar contra o próximo", concluiu.