Continua o derramamento de sangue cristão no norte da Nigéria

31 mortos em atentados contra cinco igrejas

| 1381 visitas

Godonu Anthony Gbenayon

ROMA, segunda-feira, 18 de junho de 2012 (ZENIT.org) - Os cristãos do norte da Nigéria continuam sendo sacudidos pelas explosões das bombas dos jihadistas islâmicos do grupo Boko Haram. Neste domingo, cristãos que estavam em cinco igrejas do estado de Kaduna foram atacados a bomba quando se reuniam para exercer a liberdade religiosa no culto de domingo, o que resultou em pelo menos 31 mortos e vários feridos.

A agência de gestão de emergências nacionais, NEMA, afirmou que duas das explosões ocorreram nos distritos de Wusasa e Sabon Gari de Zaria. “Houve dois ataques simultâneos com bombas contra igrejas em Nassarawa e Barnawa, ao sul de Kaduna, na manhã de hoje. Ainda estamos reunindo informações sobre as vítimas”, disse o porta-voz da NEMA em Kaduna, Aliyu Mohammed. Uma terceira explosão aconteceu na cidade de Kaduna, capital do estado.

Wusasa é o lugar em que foi construída a primeira igreja do norte da Nigéria. Dados não confirmados da agência AFP afirmam que houve explosões contra duas outras igrejas do estado, elevando o total a cinco. Entre as igrejas afetadas está a catedral católica de Cristo Rei e a igreja da Boa Nova, em Kaduna.

Uma mulher ferida na igreja de Wusasa, que está hospitalizada, relata que “muita gente na igreja ficou ferida, mas não vi mortos”.

“Fui até a igreja, mas não pude chegar perto por causa dos policiais e militares que estavam lá”, disse a AFP o residente Mahmud Hamza. “De onde eu estava, vi a igreja completamente destruída, ainda pegando fogo. É claro que tinha mortos, por causa da dimensão dos estragos e do fogo”.

Outros residentes falaram de corpos arrastados para fora das ruínas e relataram que duas bombas no sul da cidade provocaram protestos nas ruas, por parte de jovens cristãos. A multidão teria feito barricadas em Trijania, Gonin Gora e Sabon Tasha, atacando os motoristas que parecessem muçulmanos.

É o terceiro domingo em que cristãos são assassinados enquanto celebram o culto em suas igrejas. O Boko Haram reivindicou os atentados, em sua campanha pela adoção da lei islâmica na Nigéria, especialmente na parte norte.

O governo federal parece ter perdido a noção de como enfrentar os incessantes atentados contra cristãos por parte dos jihadistas islâmicos, dado que pouco ou nada foi feito desde o atentado a bomba de dezembro do ano passado, quando muitos mortos e feridos ensanguentaram as celebrações de natal.

(Tradução:ZENIT)