'Contribuir para um ecumenismo cheio de fervor humano, espiritual e caridoso'

Bento XVI assinou, em ato solene, a exortação apostólica "Ecclesia in Medio Oriente"

| 727 visitas

HARISSA, sexta-feira, 14 de setembro de 2012 (ZENIT.org) – A solene assinatura de Bento XVI da Exortação Apostólica Pós-sinodal Ecclesia in Medio Oriente ocorreu logo após das 18 horas na Basílica greco-melquita de Harissa. No seu discurso, o Papa disse que o documento pode "contribuir para um ecumenismo cheio de fervor humano, espiritual e caridoso".

O documento assinado reúne o fruto dos trabalhos da Assembleia Especial para o Oriente Médio do Sínodo dos Bispos, realizado no Vaticano em outubro de 2010.

Na sua chegada à basílica, Bento XVI foi recebido pelo patriarca de Antioquia dos greco-melkitas católicos, Sua Beatitude Gregório III Laham, B.S., e pelo superior da Comunidade. Na cerimônia estavam presentes o presidente da República, os patriarcas e os bispos do Líbano, os membros do Conselho Especial para o Oriente Médio do Sínodo dos Bispos, uma delegação ortodoxa e uma muçulmana.

Após as palavras de saudação do patriarca greco-melkita e a declaração introdutória do secretário-geral do Sínodo dos Bispos, Mons. Nikola Eterovic, o Santo Padre pronunciou seu discurso.

"É providencial que este ato - disse o Santo Padre – aconteça no dia da Festa da Cruz Gloriosa, cuja celebração nasceu no Oriente, em 335, no dia depois da Dedicação da Basílica da Ressurreição, construída no Gólgota e no túmulo de Nosso Senhor, pelo Imperador Constantino, o Grande, que venerais como santo".

O Papa, considerando a festa de hoje, a Exaltação da Santa Cruz, lembrou a história de Constantino, cuja visão: "Neste sinal vencerás" celebrará o 1.700 aniversário.

Bento XVI expressou seu pensamento de que a “exortação pode ser lida e interpretada à luz da festa da Cruz gloriosa e, de modo especial, a partir do crismón, o X (KHI) e o P (rhô), as duas primeiras letras da palavra Χριστός".

Uma chave de leitura que "leva a uma verdadeira redescoberta da identidade do batizado e da Igreja e, ao mesmo tempo, constitui como que uma chamada ao testemunho na comunhão e através dela”.

A exortação apostólica assinada agora, comentou o Papa, “permite repensar o presente para considerar o futuro com o mesmo olhar de Cristo”. Objetivo do documento assinado hoje é também “contribuir para um ecumenismo cheio de fervor humano, espiritual, e caridoso, na verdade e no amor evangélico, que tira a sua força do mandato do Ressuscitado: "Ide, portanto, e fazei discípulos todos os povos , batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo; ensinando-os a observar tudo o que vos tenho ordenado. E sabeis que eu estou convosco todos os dias, até o final dos tempos”.

Concluiu expressando seus sentimentos de esperança e de encorajamento "para serem protagonistas ativos da fé pela comunhão e pelo testemunho”. E anunciou que amanhã entregará a Exortação pós-sinodal Ecclesia in Medio Oriente “aos meus venerados irmãos patriarcas, arcebispos e bispos, a todos os padres, diáconos, religiosos e religiosas, aos seminaristas e fiéis leigos". Exorto a todos eles com as palavras do apóstolo João: “Tende bom ânimo".

Pouco antes da bênção final, o santo Padre assinou uma cópia da exortação apostólica para logo depois voltar de carro para a Nunciatura Apostólica de Harissa para o jantar.

Pode-se ler o discurso completo de Bento XVI neste link: 

http://www.zenit.org/article-31286?l=portuguese

Trad. T.S