Corrupção do amor destrói esperança nos jovens, denuncia Papa

No Ângelus da solenidade da Imaculada Conceição

| 1159 visitas

CIDADE DO VATICANO, domingo, 9 de dezembro de 2007 (ZENIT.org).- Bento XVI denunciou que a corrupção do amor que se transmite aos jovens e às crianças está destruindo sua esperança.

Em sua intervenção por ocasião da oração do Ângelus neste sábado, solenidade da Imaculada Conceição de Maria, o Papa dirigiu um pensamento especial aos «jovens de hoje, que cresceram em um ambiente saturado de mensagens que propõem falsos modelos de felicidade».

Falando desde a janela dos seus aposentos, ele reconheceu que «estes garotos e garotas correm o risco de perder a esperança, pois freqüentemente parecem órfãos do verdadeiro amor, que confere significado e alegria à vida».

A esperança é o tema central daSpe Salvi, a segunda encíclica publicada por Bento XVI no dia 30 de novembro.

Dirigindo-se aos ilhares de peregrinos, ele constatou que «muitas experiências nos mostram lamentavelmente que os adolescentes, os jovens e até as crianças são vítimas fáceis da corrupção do amor, enganados por adultos sem escrúpulos que, mentindo para si mesmos e para eles, atraem-nos aos becos sem saída do consumismo»

«Inclusive as realidades mais sagradas – assegurou –, como o corpo humano, templo de Deus do amor e da vida, tornam-se dessa forma objetos de consumo.»

«E isso cada vez mais rápido, já desde a pré-adolescência.»

«Que tristeza é ver os meninos e meninas perderem a maravilha, o encanto dos sentimentos mais belos, o valor do respeito ao corpo, manifestações da pessoa e do seu insondável mistério!», reconheceu.

Por este motivo, o bispo de Roma apresentou Maria Imaculada como «resplandecente beleza, transparente ao amor de Deus».

Neste contexto, ele convidou os fiéis a peregrinar espiritualmente a Lourdes, donde neste sábado começou o ano jubilar por ocasião do 150º aniversário das aparições de Maria na gruta de Massabielle.

«Maria Imaculada, «estrela do mar, brilhai sobre nós e guiai-nos em nosso caminho», concluiu.