Cresce a Igreja no Chade

Papa cria o vicariato apostólico de Mongo

| 1349 visitas

MONGO, Chade, quinta-feira, 4 de junho de 2009 (ZENIT.org).- Em resposta ao crescimento da Igreja no país, Bento XVI elevou a prefeitura apostólica de Mongo, no Chade, ao nível de vicariato apostólico, mantendo a mesma denominação e configuração territorial.

Neste país de 10 milhões de habitantes, dos quais 53% são muçulmanos, os católicos, nos últimos 20 anos, passaram de ser pouco mais de 5% a 20%, registrados por algumas fontes estatísticas. A evangelização no Chade aconteceu, de fato, há poucos anos. Segundo as estatísticas, no país 14% pertence a denominações protestantes e 7,3% é animista.

Segundo explicou Dom Miguel Ángel Sebastián Martínez, bispo da diocese de Lai, ao Sínodo dos Bispos celebrado em outubro passado no Vaticano, o êxito dessa evangelização se deve em parte à importância que se dá nas comunidades cristãs à Palavra de Deus e à Eucaristia. 

Os católicos do país nem sempre podem participar da missa do domingo, por falta de sacerdotes, mas de qualquer forma, têm uma reunião semanal para ler a Palavra, rezar e buscar “o que devem fazer para mudar tudo aquilo que, em suas vidas, não está em conformidade com o Evangelho”, segundo explicou o prelado. 

Em meio aos conflitos que afetam o país há mais de 40 anos, “estamos convencidos de que a Palavra de Deus é uma palavra de Paz, uma palavra que anuncia a Paz e que invoca a Paz, o perdão, a reconciliação e a justiça”, explicou o prelado ao Sínodo.

A Igreja no país, revelou o próprio prelado, promove numerosas iniciativas de promoção integral do homem e da mulher, e de luta contra o analfabetismo. 

Segundo informou nesta quarta-feira a Sala de Imprensa da Santa Sé através de um comunicado, o Papa nomeou o Pe. Henri Coudray, SJ, como primeiro vigário apostólico de Mongo, que será ordenado bispo. 

Prefeito apostólico de Mongo desde 1º de dezembro de 2001, o Pe. Coudray é especialista em língua árabe, islã e diálogo inter-religioso. 

Nasceu na localidade francesa de Pont-de-Beauvoisin, na diocese de Grenoble-Vienne, em 1942. 

Estudou teologia em Chantilly, em Lyon, e na Universidade Pontifícia Gregoriana de Roma. Também estudou Letras na Sorbonne em Paris e se licenciou em árabe e estudos islâmicos em Lyon. 

Foi ordenado sacerdote em 1973 e professou na Companhia de Jesus em 1980. 

Exerceu seu ministério no Chade, em Yamena, onde promoveu encontros entre cristãos e muçulmanos e exerceu o cargo de vigário episcopal para a região oriental da arquidiocese. 

Foi professor de árabe no instituto franco-árabe de Abéché e, na Costa do Marfim, dirigiu o noviciado de Aviyán, antes de regressar ao Chade, como pároco em Mongo e em Marjan Daffak. 

A igreja paroquial de Mongo se converteu na catedral do novo vicariato apostólico, que envolve uma população de cerca de 1,7 milhão de habitantes, seis mil deles católicos (0,35%). 

Os católicos de Mongo estão espalhados em seis paróquias atendidas por nove sacerdotes (seis diocesanos e três religiosos). O vicariato conta também com 13 religiosas, 5 religiosos, 8 missionários leigos e 2 seminaristas.