Cresce o catolicismo no Brasil

De acordo com dados do Departamento Central de Estatística da Igreja, o 84, 5% da população é fiel à Igreja de Roma

Roma, (Zenit.org) Jill Carnà | 2303 visitas

Uma série de estatísticas atualizadas no dia 31 de dezembro de 2011, mostram muitas mudanças na Igreja Católica no Brasil. O dossiê, editado pelo Departamento Central de Estatísticas da Igreja, foi divulgado em vistas da próxima Jornada Mundial da Juventude, a ser realizada no Rio de Janeiro (23-28 julho de 2013).

Hoje é católico o 84, 5% da população: para ser exato 165 milhões de cidadãos brasileiros de 195 milhões.

A Igreja Católica no Brasil tem demonstrado um alto grau de vitalidade e de funcionalidade: ela mostra números em crescimento e outros em declínio. Com a mudança das próprias estruturas (dioceses, paróquias e agentes de pastoral) a Igreja soube adaptar-se às novas exigências.

Comparado com o ano 2001, a densidade paroquial, ou seja, o número dos católicos por paróquia, caiu de 16.444 para 15.255. O número médio de sacerdotes por paróquia pelo contrário cresceu de 1,88 no 2001 para 1,92 no 2011. Em todo o Brasil existem 10.802 paróquias e mais de 20.000 sacerdotes no total.

Ao longo da última década, também os resultados alcançados no campo das vocações e ordenações sacerdotais relataram mudanças. Com um crescimento de 1,41%, em 2011, havia 8.956 seminaristas. Esta evolução também se reflete nos 547 neosacerdotes diocesanos em 2011 (eles são 28,7% a mais do que em 2001).

Também na vida civil, social, educativa e administrativa do País, a Igreja Católica tem uma grande influência. Em 2011, 6.882 escolas católicas de todos os níveis e ordens trabalhavam juntas com cerca de dois milhões de alunos. No total, havia 1.940.299 de estudantes de todos os níveis de educação pertencentes ou administrados por eclesiásticos.

O número de centros sociais e de caridade, tais como hospitais, clínicas familiares ou casas de anciãos, era de 8597.

Tradução Thácio Siqueira