Criança na missa

Coluna de orientação catequética aos cuidados de Rachel Lemos Abdalla

| 1764 visitas

Por Rachel Abdalla*

CAMPINAS, quinta-feira, 4 de outubro de 2012 (ZENIT.org) -Uma das exigências da formação cristã é a prática das virtudes (Exortação Apostólica Catechesi Tradendae – Papa João Paulo II – 1979), e uma delas é a oração. Podemos ler isso na carta de São Paulo aos Romanos (12,12), na qual ele convida para que sejamos alegres na esperança e perseverantes na oração. Assim também devem ser as crianças, desde bem pequeninas!

Elas precisam crescer num ambiente onde a oração faz parte dos hábitos da família, e aprender que elas têm um compromisso com Deus, todos os finais de semana, na Missa.

Segundo o Catecismo, a educação da consciência é uma tarefa de toda a vida, e as crianças, desde os seus primeiros anos precisam ser alertadas para uma educação prudente que ensina as virtudes... (Cf. CIC 1784).

Quando seus pais as levam na Missa, eles estão cumprindo com a responsabilidade de cristãos que são, e as crianças vão formando, no inconsciente, os conceitos de perseverança na oração, de louvor a Deus, e de respeito aos Mandamentos, em especial ao 3º que é 'guardar os domingos e dias de festas para dar graças a Deus'.

A Igreja é o lugar onde se realiza a educação da fé das crianças pela catequese, portanto, precisa estar preparada para recebê-las e acolhê-las, também nas Missas, desde bem pequeninas, para que sejam inseridas na vida cristã a partir dos hábitos cristãos, inicialmente acompanhando seus pais, onde aprendem a rezar 'em comunidade' e ouvir os ensinamentos de Jesus.

Conforme a Exortação Apostólica Evangelii Nuntiandi (44), a catequese deve ser adaptada à idade, à cultura e à capacidade do catequizando, procurando sempre fazer com que ele grave na memória, na inteligência e no coração, as verdades essenciais que deverão permanecer durante toda a sua vida. E os catequistas devem ser bem preparados e demonstrar-se cuidadosos, procurando conhecer cada vez mais esta arte superior, indispensável e exigente da catequese.

Esta proposta de uma catequese-litúrgica para os pequeninos, que se dá no momento da Missa, requer também uma linguagem e um espaço adequados para que eles: vivenciem a comum união com os amiguinhos, 'onde a Palavra de Deus seja meditada na oração pessoal, atualizada na oração litúrgica e interiorizada em todo o tempo' (Cf. CIC 2688); partilhem o que aprendem e o que descobrem durante a semana; cresçam na fé ouvindo as histórias da vida de Jesus; e conheçam o Amor sentindo-se filhas de um Deus que também é Pai. E tudo isso de modo lúdico, apropriado e na linguagem delas, ou seja, brincando, caminhando passo a passo com Jesus, pelos evangelhos dominicais, enquanto são acolhidas nas missas.

A formação cristã das crianças menores está, primeiramente, nas mãos dos pais que devem perseverar com elas na oração, nos hábitos e nas virtudes cristãs; mas também sob os cuidados da Igreja que precisa apontar o Caminho que elas devem seguir, acolhendo-as assim como Jesus acolheu os pequeninos, os seus preferidos.

*Rachel Lemos Abdalla é Fundadora e presidente da Associação Católica Pequeninos do Senhor e Coordenadora da Catequese de Famílias da Paróquia Nossa Senhora das Dores em Campinas, São Paulo; apresenta o 'Programete Pequeninos do Senhor', dentro do Programa 'Povo de Deus' da Arquidiocese de Campinas, na Rádio Brasil Campinas; e é membro da 'Equipe de Trabalho' do 'Ambiente Virtual de Formação' da Arquidiocese de Campinas.

Site: www.pequeninosdosenhor.com.br

Se desejar enviar perguntas ou expressar opiniões sobre os temas tocados pela coluna organizada por Rachel Lemos Abdalla, enviar email para: contato@pequeninosdosenhor.com.br