Crianças, jovens e adultos uruguaios se despedem dos símbolos da JMJ

| 691 visitas

Por Tiago

BRASILIA, segunda-feira, 17 de dezembro de 2012 (ZENIT.org) - Crianças, jovens, adultos e idosos de povoados e dos principais centros urbanos da diocese de Salto receberam a Cruz da Jornada Mundial da Juventude e o Ícone de Maria na quarta e quinta-feira (12 e 13).

A diocese mais extensa do país e que engloba quatro dos 19 estados (departamentos) foi o último destino da peregrinação pelo Uruguai. A região mais ao norte é de grandes fazendas de gado de corte e o sul da diocese estão plantações de eucaliptos e de soja, trigo e arroz.

Bispo de Salto monta Cruz da JMJ

Na cidade de Fray Bentos, com 24 mil habitantes, houve uma celebração com crianças entre 3 e 10 anos de três escolas diferentes na quarta-feira (12) pela manhã. O local ficou conhecido no noticiário pela briga comercial e ambiental com a Argentina pela instalação de uma fábrica de celulose. Os uruguaios queriam receber a empresa estrangeira, mas do outro lado do rio Uruguai os argentinos reclamavam dos danos ambientais que a indústria papeleira traria. Venceram os interesses uruguaios.

A segunda parada foi em Young, outra pequena cidade com 17 mil habitantes, onde um grupo de jovens rezou junto à Cruz e ao Ícone . À noite, a comunidade da paróquia São José Operário em Paysandú, fronteira com Colón (Argentina), se reuniu para a missa com os símbolos da JMJ. Ana, jovem paroquiana, disse que sentiu o abraço de Cristo ao estar junto da Cruz da JMJ.

Na opinião do pároco Júlio Martinez a experiência foi um pentecostes, que ajudou muito a tomar consciência sobre a Jornada e uniu toda a comunidade paroquial. “Foi uma experiência muito forte para a comunidade.”

Salto
Após a missa, os jovens refletiram sobre as cruzes que carregam como ter de largar os estudos por falta de recursos ou para manter um trabalho, dos acidentes de trânsito e do aborto, recém-aprovado no país. Um cartaz com as principais cruzes encontradas na vivência dos jovens de salto, foi colorido com as esperanças juvenis como a fé e a vida em comunidade. “Desenhamos diferentes situações de morte que a sociedade nos apresenta e, por cima, situações de vida propostas por Cristo”, disse Frederico, animador do grupo jovem local. Finalmente, os jovens seguiram por 15 quadras em peregrinação carregando a Cruz e o Ícone até a paróquia de Santa Cruz.

Ismael Cortinas

Missa celebrada pelo presidente da Conf. Episcopal Uruguaia

Na noite de terça-feira (11), o povoado de Ismael Cortinas no centro do país recebeu os símbolos da JMJ com o presidente da Conferência Episcopal do Uruguai (CEU), dom Carlos Collazzi. Boa parte dos 1,2 mil habitantes locais moram na zona rural. “Temos de favorecer uma proposta comunitária que ajude o jovem a ter esse sentimento de pertença”, disse.

Segundo o bispo responsável pela juventude, dom Arturo Fajardo, que também estava na celebração, a pastoral juvenil uruguaia procura se revitalizar para enfrentar a secularização do país. “Nossa proposta é encher a vida dos jovens com sentido a partir da comunicação do Evangelho, gerando o encontro com Cristo, o discipulado e a missão”, afirmou.

A principal preocupação dos bispos e padres nas celebrações era animar os jovens a testemunhar Cristo em suas vidas para poder enfrentar o secularismo presente na sociedade uruguaio.

Na sexta-feira (14) à tarde o núncio apostólico, dom Anselmo Pecorari, recebeu a delegação brasileira e os padres uruguaios que peregrinaram junto aos símbolos da JMJ.

(Fonte: Jovens Conectados)