Crise humanitária no Iêmen

250.000 crianças em risco de morte

| 906 visitas

ROMA, segunda-feira, 11 de junho de 2012 (ZENIT.org) - É cada vez mais dramática a situação humanitária no Iêmen, onde, por causa da guerra e das dificuldades da transição democrática, a fome está se alastrando em níveis alarmantes.

O assunto foi destaque do diário vaticano L'Osservatore Romano, em sua edição da última sexta-feira (8). O jornal afirma que desde antes de 2011, quando as revoltas populares levaram à renúncia do presidente Ali Abdullah Saleh após 33 anos no poder, a vida já era extremamente difícil para os pobres do país.

Agora, a crise explodiu de modo dramático e há centenas de milhares de famílias sofrendo as consequências conjuntas da inflação e dos conflitos.

Geert Cappelaere, representante da Unicef no Iêmen, ressaltou a gravidade da situação de mais de 250.000 crianças do país.

De acordo com os últimos dados da agência da ONU, a quase totalidade das treze milhões de crianças iemenitas já sofreu violências. As anomalias no desenvolvimento por causa da desnutrição afetam 58% dos menores de cinco anos, com um milhão delas em estágio grave de desnutrição e um quarto em risco de morte.

"É necessária uma intervenção imediata e mais ajuda dos países do Golfo Pérsico" para combater a segunda crise humanitária mais grave do mundo depois da afegã, denunciaram os representantes da Unicef no Iêmen.

Cappelaere fez um apelo ao novo governo de Abd Rabbo Mansour Hadi para enfrentar a situação: "Precisamos de prevenção e de tratamentos específicos", destacou, recordando que o peso econômico da desnutrição em todo o país se traduz em 800 milhões de euros por ano.

A morte das crianças por falta de alimentos é acelerada pela ignorância da população, em particular nas áreas rurais. Daí a necessidade de uma campanha de sensibilização voltada não somente à população, mas também aos representantes governamentais que, em algumas províncias, de acordo com o Ministério da Saúde, "não estão dispostos a colaborar", piorando uma situação que já chegou ao extremo.

Trad. Zenit