Cristãos de Jerusalém pedem o direito de receber o papa e o patriarca nas ruas

Eles denunciam que as autoridades querem "impor um toque de recolher, inclusive no bairro cristão"

Cidade do Vaticano, (Zenit.org) Redacao | 478 visitas

“Às vésperas da visita de Sua Santidade, o papa Francisco, a Jerusalém, bem como do seu encontro com Sua Santidade, Bartolomeu I, nós reivindicamos o nosso direito legítimo de dar as boas-vindas aos nossos líderes espirituais”. A frase está na carta enviada por um grupo de cristãos de Jerusalém ao arcebispo Giuseppe Lazzarotto, núncio apostólico em Israel e delegado apostólico em Jerusalém e na Palestina, faltando menos de 10 dias para a viagem do Santo Padre à Terra Santa.

Segundo a agência de notícias Fides, a iniciativa foi lançada por alguns católicos da paróquia latina de São Salvador, na Cidade Velha. “As nossas considerações refletem as expectativas de todos os cristãos de Jerusalém”, explica Hania Kassissieh, cristã ortodoxa casada com um católico de rito latino, que ajudou a difundir a carta.

“Nós somos conscientes de que a missa pelos fiéis palestinos será celebrada em Belém, mas acreditamos que, como habitantes de Jerusalém e descendentes dos primeiros cristãos, seremos impedidos de nos reunir com os nossos pais espirituais em Jerusalém. Estamos sendo testemunhas da tentativa da ocupação israelense de impor um toque de recolher nas ruas, inclusive no bairro cristão, durante a visita. O toque de recolher é mais uma tentativa da potência ocupante de negar a nossa existência".

"É inaceitável que o papa passe pelas ruas estreitas do bairro cristão e elas estejam vazias de fiéis e de qualquer sinal de vida. Como comunidades locais da Igreja, nós somos os convidados dos nossos pais espirituais em nossa cidade. Não queremos ser excluídos de um evento religioso histórico e queremos oferecer a nossa vontade e a nossa colaboração pelo sucesso da visita”.