Curso para Bispos discute 50 anos do Vaticano II

Iniciativa da arquidiocese do Rio de Janeiro

| 1140 visitas

RIO DE JANEIRO, terça-feira, 1° de fevereiro de 2011 (ZENIT.org) – Cerca de 100 bispos do Brasil reúnem-se de 31 de janeiro a 4 de fevereiro no Rio de Janeiro para o 20º Curso para Bispos, que este ano aborda o tema dos 50 anos do Concílio Vaticano II.

O arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, fez a abertura do evento na noite dessa segunda-feira, no Centro de Estudos do Sumaré.

Na manhã desta terça-feira, o bispo da diocese alemã de Regensburg, Dom Gebhard Ludwing Müller, falou sobre a Lumen Gentium, enfocando “Sacramentalidade e constituição carismática da Igreja".

Em sua palestra – segundo informa o departamento de comunicação da arquidiocese do Rio –, o bispo destacou que a essência sacramental é o que dá forma à Igreja.

“De acordo com o Concílio Vaticano II, a Igreja como Sacramento leva, em contrapartida, à unidade com Deus e dos homens entre si, e, exatamente assim, pode vir a ser sinal visível da graça, da redenção e da salvação no mundo.”

“A nós, cabe, de modo especial, a tarefa de fazer com que o amor ao próximo se torne sinal do amor de Deus no mundo e para o mundo”, disse.

Gaudium et spes

A segunda palestra desta terça-feira foi enviada pelo arcebispo de Veneza, cardeal Angelo Scola. O texto, que enfocava os principais eixos da Gaudium et spes, foi apresentado pelo bispo de Petrópolis, Dom Filippo Santoro.

“Todos os problemas da presença da Igreja na sociedade se encontram nesse documento”, disse Dom Filippo, referindo-se à Gaudium et spes. Ele assinalou que uma leitura do texto oferece “um panorama da origem de toda aquela que é a vida atual da Igreja”.

No texto enviado pelo patriarca, foi destacado da Gaudim et spes a preocupação dos padres conciliares com questões como o desejo de conseguir falar a todos os homens, a relação com a modernidade, a relação entre Jesus Cristo e a liberdade do homem.

“Trata-se de assuntos talvez fáceis de esboçar em um programa, mas muito mais difíceis de traduzir em afirmações doutrinais articuladas e orgânicas próprias de um documento conciliar”, disse Dom Filippo.

Formação

Em sua 20ª edição, o Curso para Bispos é uma iniciativa do cardeal Eugênio de Araújo Sales, continuada por seus sucessores na arquidiocese do Rio de Janeiro.

Em artigo de apresentação do evento, divulgado à imprensa nessa segunda-feira, o arcebispo Orani Tempesta afirma que se trata de um momento “de encontro, aprofundamento, oração e confraternização entre os sucessores dos Apóstolos”.

“Como para os sacerdotes e as pessoas de vida consagrada, a formação permanente, no caso do Bispo, é uma exigência intrínseca da sua vocação e missão. De fato, em virtude dela é possível discernir os novos apelos com que Deus especifica e atualiza o chamamento inicial”, afirma.