Curso universitário de jornalismo social: «Jovens entre Bolsa de Valores e vida»

Iniciativa da Fundação Crônica Branca e da Universidade CEU São Paulo (Madri)

| 1001 visitas

MADRI, segunda-feira, 18 de junho de 2007 (ZENIT.org).- Jovens comunicadores cristãos se interrogam sobre a situação de seus contemporâneos e buscam oferecer sentido e preencher lacunas da realidade juvenil atual: é a inquietude do II Curso de Verão de Jornalismo Social, organizado de 28 de junho a 1º de julho pela Fundação Crônica Branca e a Universidade CEU São Paulo (de Madri, Espanha).



Com o título «Jovens entre a Bolsa de Valores e a vida», o ponto de partida do curso será analisar a realidade dos jovens espanhóis no contexto de uma sociedade na qual não se primam as facilidades de desenvolvimento e crescimento individual e coletivo, aponta a organização.

Manuel María Bru Alonso, diretor do curso e presidente da Fundação de jovens comunicadores cristãos Crônica Blanca, confirma a Zenit a oportunidade informativa que esta iniciativa representa «para aprofundar na realidade do âmbito da juventude»: «como é a juventude hoje na sociedade espanhola, quais são suas inquietudes, quais são suas esperanças, como a juventude é considerada pelo resto da sociedade, o que se espera dela».

Por outro lado, «aprofundar nessa realidade do mundo juvenil é de grande interesse para os comunicadores, porque lhes serve de formação», acrescenta, e sendo estes «um grupo de jovens, muito mais ainda».

É uma convocatória «para falar deles mesmos, de seus contemporâneos; para poder ter um conhecimento mais próximo, e também para poder intercambiar entre eles e os demais participantes que queiram anotar-se a experiência de ter encontrado motivos fundamentais na vida, sobretudo desde a fé cristã; para encontrar um valor e um sentido», «objetivo concreto deste curso de verão», explica.

Por isso, nessas jornadas, «vamos tentar mostrar, por um lado, uma radiografia da juventude na sociedade espanhola, desde o ponto de vista sociológico e desde o ponto de vista filosófico -- quais são os ideais dos jovens, os de ontem, os de hoje, os que se esperam de amanhã».

A esta dinâmica se somará um painel de experiências, mais as dos jovens que vão participar -- quase quarenta como palestrantes --, todas vivências «de ter encontrado o lugar na vida; alguns desde uma ótica mais explicitamente crente, e outras desde outro tipo de perspectivas», comenta Manuel Bru.

Em todo caso, mostra-se a experiência de «ter encontrado um lugar no mundo de hoje e na sociedade de hoje, e ter encontrado esse lugar a partir de uma série de valores que se identificam com o humanismo cristão -- sublinha; valores como o da superação pessoal, a importância de ter um sentido na vida, o valor que tem ajudar os outros como melhor meio para também reconhecer a importância que tem deixar-se ajudar pelos outros».

O II Curso de Verão de Jornalismo Social se inscreve no marco formativo da Fundação Crônica Branca, mas também no «comunitário».

Nesses dias, «procuramos fazer uma experiência de comunidade, de família, de conhecer-nos melhor para estimar-nos mais», e assim «ajudar-nos como irmãos na fé, como cristãos, desde toda essa riqueza que supõe o olhar cristão dessa profissão, que é um olhar muito positivo e muito valioso», constata Bru.

«O curso está aberto a todos aqueles que têm interesse pelo mundo dos jovens» -- declara --, fundamentalmente a «estudantes, e estudantes de jornalismo», assim como professores, responsáveis de projetos relacionados com a juventude, responsáveis da pastoral juvenil, membros de associações e movimentos juvenis, etc.

«No final do curso -- prossegue seu diretor -- vamos traçar uma informação e uma reflexão -- mais que uma proposta --, porque nos parece que é de interesse geral, sobre os jovens na Igreja», um aspecto no qual terá lugar «a experiência da pastoral juvenil em Madri, na Espanha, na Igreja universal, as Jornadas Mundiais da Juventude convocadas por João Paulo II e por Bento XVI», entre outras.

«Crônica Branca» -- aponta Manuel Bru -- representa «o desejo compartilhado de jovens católicos no mundo da comunicação de fazer um tipo de comunicação social que consideram apaixonante e que se baseia fundamentalmente -- por isso a palavra ‘branca’ -- na pureza uma comunicação -- como diz [a Instrução Pastoral] ‘Communio et Progressio’ -- ao serviço da comunhão entre os homens e os povos».

Os jovens comunicadores cristãos vinculados há anos a esta iniciativa de «Crônica Branca» se constituíram em Fundação «para poder apresentar um melhor serviço, mais profissional, mais institucional, à sociedade de hoje -- confirma seu presidente --, sobretudo no âmbito do mundo da comunicação».

Mais informação e inscrições: www.uspceu.com/usp/cursos_verano/curso07/periodismo_social.htm.