Custódia pede paz para Terra Santa

Propõe rezar por israelenses e palestinos

| 774 visitas

BELÉM, quarta-feira, 13 de junho de 2007 (ZENIT.org) .- A paz na Terra Santa exige trocar «corações de pedra» por «corações de carne», afirma uma mensagem lançada desde Belém pelo Capítulo da Custódia da Terra Santa.



O chamado, lançado nesta segunda-feira pelos frades Menores Franciscanos desde a Gruta da Natividade de Jesus em Belém, ressoa quarenta anos depois da guerra de junho de 1967.

A exortação ressoa em pleno conflito entre palestinos.

Ainda hoje, constatam com pesar os religiosos, «a paz continua sem reinar na Terra Santa, que está ainda lacerada pelo conflito que divide e opõe seus dois povos».

Neste contexto, os religiosos querem ser «testemunhas da esperança» e «artífices da reconciliação e da paz».

«Renovamos neste lugar santo nosso propósito de fidelidade à missão que nos confiou a Igreja de custodiá-lo e de proclamar e difundir a mensagem salvífica, mas ao mesmo tempo e de maneira imprescindível, também nosso propósito de proximidade perseverante aos cidadãos de Belém», afirmam.

«Desde Belém, que viu nascer o Príncipe da Paz, elevamos nossa oração incessante para que Deus mude os 'corações de pedra' em 'corações de carne'», seguem dizendo.

«Rezemos para que o Espírito Santo guie quem rege os povos, inspirando-lhes com conselhos de mansidão, e os leve por caminhos que conduzem à paz.»

«Rezemos para as duas nações, que encontram sua pátria nesta Terra Santa, guiadas nesta direção, possam conviver reconciliadas, em virtude do recíproco reconhecimento de sua própria dignidade e de seu próprio direito à segurança e à liberdade», conclui a mensagem.