D. Javier Echevarría: "Uma feliz coincidência"

Declaração de D. Javier Echevarría, Prelado do Opus Dei, ao conhecer a notícia da aprovação dos milagres atribuídos a João Paulo II e Álvaro del Portillo, e da decisão do santo Padre sobre a canonização de João XXIII e de outros procesos.

Roma, (Zenit.org) | 748 visitas

O anúncio das próximas canonizações dos beatos João Paulo II e João XXIII, e da futura beatificação do venerável Álvaro del Portillo são motivos de profunda alegria, e uma feliz coincidência. A decisão do Papa Francisco é causa de profundo agradecimento a Deus.

D. Echevarría e o futuro bem-aventurado.

O beato João Paulo II consumiu-se com incansável generosidade a serviço da humanidade. Fez-nos próximos de Deus com o seu rico Magistério: de palavra, por escrito, com imagens e com tantos gestos cheios de significado. Toda a sua vida apoiava-se numa unidade íntima com Jesus Cristo: era suficiente ver como rezava para compreender a fecundidade do seu ministério.

João Paulo II e João XXIII foram verdadeiramente pais próximos de todos os fiéis, da Igreja e concretamente, posso afirmar, desta parte da Igreja que é a Prelazia do Opus Dei. Penso que, com eles, milhões de pessoas sentiram-se ‘filhos prediletos’ do Papa.

D. Álvaro del Portillo foi, para São Josemaria, um grande apoio; e para João Paulo II, um fidelíssimo colaborador. Tive oportunidade de ouvir numerosos eclesiásticos e leigos de muitos países, que me falaram do bem que lhes causou este fiel sacerdote; e coincidem numa afirmação: que era fácil querê-lo, confiar nos seus conselhos, porque palpavam o interesse sincero e sacerdotal pelas suas almas.

A Igreja referiu-se a D. Álvaro del Portillo como um “homem de profunda bondade e afabilidade, capaz de transmitir paz e serenidade às almas”. Neste momento de alegria, acudo à intercessão deste servo bom e fiel, e peço-lhe que nos “contagie” com a sua lealdade a Deus, à Igreja, ao Papa, a são Josemaria, aos amigos; que nos alcance a sua sensibilidade social, que se manifestou no impulso de numerosas iniciativas em todo o mundo a favor dos mais necessitados; que nos obtenha a sua predileção pela família e o seu apaixonado amor ao sacerdócio, bem como a sua piedade terna e simples, que tinha um profundo sentido mariano.