Debate sobre relação entre bispos e mídia

Pe. Duarte da Cunha, novo secretário da CCEE

| 982 visitas

SAINT-GALL, terça-feira, 7 de outubro de 2008 (ZENIT.org).- Uma comissão para melhorar a relação entre as conferências episcopais dos países europeus e os meios de comunicação, assim como a posta em comum dos recursos disponíveis, foi a proposta dos bispos participantes da Assembléia Plenária que se realizou em Esztergom (Hungria), entre 30 de setembro e 3 de outubro.

Dela participaram prelados das 33 conferências episcopais na Europa, representantes de seus respectivos presidentes, os bispos de Luxemburgo e do principado de Mônaco, assim como o bispo de Chişinău (Moldávia).

Os prelados concluíram que ainda que existam iniciativas das Conferências Episcopais e estas contem com os instrumentos para a evangelização (televisão, rádio, agências de imprensa e sites), «não são raros os casos nos quais, na mídia, a Igreja está sujeita a calúnias ou difamações», segundo anuncia o comunicado oficial desta assembléia.

Os motivos variam de país para país e são muitos, mas entre eles se destacam «os regimes totalitários no século XX, e sobretudo um conceito enganoso da secularização que quer relegar a Igreja e a religião à esfera privada, e que não aceita sua intervenção no debate público. A isso se une a ignorância de alguns jornalistas quando tratam de temas que têm a ver com a vida da Igreja», assinala o comunicado.

«Os bispos europeus decidiram enfrentar com renovado interesse o vínculo entre a Igreja e a mídia, o reforço da rede das conferências episcopais em compartilhar seus recursos, a formação de leigos maduros na fé», explica o texto, sublinhando a necessidade de «um compromisso maior com os novos meios de comunicação e em particular com a Internet e a televisão digital».

Um dever da Igreja é, de fato, encontrar vias sempre novas para a evangelização».

Compromisso evangelizador

Na Assembléia Plenária se tratou também da relação de colaboração entre bispos europeus e africanos, observando que a «consciência da necessidade de Deus e a alegria ao celebrar a fé dos cristãos na África deveriam inspirar também o Antigo Continente».

«Além dos sinais de solidariedade econômica, da tecnologia e do conhecimento científico europeu, é necessário que cheguem ao continente africano ajudas para a formação dos futuros sacerdotes e agentes pastorais», declara o comunicado.

Por outro lado, os bispos refletiram sobre os frutos da V Conferência do Episcopado Latino-Americano e do Caribe (Aparecida, Brasil, 2007). O Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM) considera a colaboração com os bispos europeus «de principal importância, devido a que, em muitos casos, enfrentam os mesmos desafios e a solidariedade entre diversas igrejas pode ser particularmente importante».

Também suscitaram especial preocupação as questões fundamentais como a paz – devido a que é a primeira vez na qual dois estados membros do CCEE (Rússia e Georgia) estão em guerra –, a busca nas células-tronco embrionárias – na qual os presidentes do episcopado reiteraram seu próprio «não», porque pressupõe o assassinato dos embriões humanos» – e a eutanásia.

Os bispos falaram também do ecumenismo, recordando que de 11 a 14 de dezembro acontecerá em Trento o primeiro foro católico-ortodoxo sobre o tema da família e de diálogo com o Islã, de pastoral dos imigrantes, do ensino da religião católica nos colégios da Europa e da pastoral vocacional.

Igualmente, os prelados, conscientes dos ataques violentos contra os cristãos que aconteceram em Orissa (Índia), manifestaram sua preocupação e expressaram sua solidariedade para com os pastores e os cristãos deste país, pedindo aos jovens e às instituições da Europa uma intervenção para cessar a violência. 

Novo secretário

Dentro da assembléia plenária, os bispos elegeram o sacerdote português Duarte Nuno Queiroz de Barros da Cunha como novo secretário-geral do Concílio da Conferência Episcopal Européia para um mandato de 5 anos.

O Pe. Duarte da Cunha substitui o Pe. Aldo Giordano, que foi nomeado no dia 7 de junho passado pelo Papa Bento XVI como enviado especial na condição de observador permanente da Santa Sé no Conselho da Europa de Estrasburgo, depois de 13 anos de serviço ao CCEE.

A assembléia plenária CCEE de 2009 se realizará em Paris, de 1º a 4 de outubro.