Declaração após morte de um guarda no Vaticano

Alessandro Benedetti, de 26 anos

| 807 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 3 de setembro de 2007 (ZENIT.org).- Publicamos a declaração do diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, o Pe. Federico Lombardi, S.J., publicada nesta segunda-feira sobre a morte de um membro do Corpo da Guarda do Estado da Cidade do Vaticano, Alessandro Benedetti.




* * *


Nesta manhã, em torno das 7h30, o jovem Alessandro Benedetti, de 26 anos, membro do Corpo da Guarda do Estado da Cidade do Vaticano, foi encontrado em um banheiro do quartel da Guarda, em condições gravíssimas, provocadas por um tiro de arma de fogo. O jovem foi levado imediatamente ao hospital Espírito Santo, onde faleceu por volta das 9h.

Os primeiros indícios levam a pensar que o jovem quis suicidar-se. Uma nota escrita, encontrada no lugar, está sendo analisada agora pela Justiça vaticana, que atende o caso e que examinará os dados da autópsia, pedida ao médico legal italiano.

O jovem Benedetti foi contratado no mês de abril passado no Corpo da Guarda, como «alumno gendarme», através do habitual processo de seleção, tanto psíquico como de atitude, incluindo o manejo de armas.

Até agora, seu comportamento não havia suscitado nenhum motivo de preocupação.

Ao conhecer a notícia, o Papa encomendou o jovem Alessandro à misericórdia de Deus; está espiritualmente próximo da família Benedetti e dos membros da Guarda.

[Tradução realizada por Zenit]