Decreto de indulgências pelo Ano Paulino

Da Penitenciaria Apostólica

| 1010 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 12 de maio de 2008 (ZENIT.org).- Publicamos o Decreto da Penitenciaria Apostólica com a qual se concedem indulgências especiais por ocasião dos dois mil anos do nascimento de São Paulo Apóstolo.

* * *

  


Urbis et Orbis

 

DECRETO

 

 

Por ocasião dos dois mil anos do nascimento do Santo Apóstolo Paulo,

são concedidas indulgências especiais

Na iminência da solenidade litúrgica dos Príncipes dos Apóstolos, o Sumo Pontífice, movido por sua solicitude pastoral, deseja recorrer oportunamente aos tesouros espirituais que se devem conceder aos fiéis para sua santificação, de maneira que possam renovar e reforçar, com fervor ainda maior nesta pia e feliz ocasião, propósitos de salvação sobrenatural já a partir das primeiras vésperas da recordada solenidade, principalmente em honra do Apóstolo dos Povos, de quem se aproximam os dois mil anos de seu nascimento terreno.

Na verdade, o dom das Indulgências, que o Romano Pontífice oferece à Igreja Universal, preenche o caminho para obter em grau sumo a purificação interior que, enquanto presta homenagem ao Santo Apóstolo Paulo, exalta a vida sobrenatural no coração dos fiéis e os impulsiona docemente a dar frutos de obras boas.

Portanto, esta Penitenciaria Apostólica, à qual o Santo Padre confiou a tarefa de preparar e redigir o Direito sobre a concessão e a obtenção das Indulgências que serão válidas durante todo o Ano Paulino, com o presente Decreto, emitido em conformidade com o desejo do Sumo Pontífice, benignamente concede as graças que a seguir se especificam:

I.- A todos os fiéis cristãos verdadeiramente arrependidos que, devidamente purificados mediante o Sacramento da Penitência e restaurados com a Sagrada Comunhão, devotamente visitem em peregrinação a basílica papal de São Paulo na via Ostiense e rezem pelas intenções do Sumo Pontífice , é concedida e enviada a Indulgência plenária da pena temporária dos seus pecados, uma vez obtida por eles a remissão sacramental e o perdão de suas faltas.

Os fiéis cristãos poderão receber a Indulgência plenária tanto para eles mesmos como para seus falecidos, tantas vezes quanto cumprirem as obras requeridas; mantém-se a norma segundo a qual pode-se obter a Indulgência plenária só uma vez ao dia.

A fim de que as orações que se elevem nestas sagradas visitas conduzam e estimulem com maior intensidade as almas dos fiéis à veneração da memória de São Paulo, estabelece-se que: os fiéis, além de elevar suas súplicas diante do altar do Santíssimo Sacramento, cada um segundo sua piedade, deverão ir ao altar da Confissão e rezar com devoção o «Pai Nosso» e o «Credo», acrescentando pias invocações em honra da Santíssima Virgem Maria e de São Paulo. Que tal devoção esteja sempre estreitamente unida à memória do Príncipe dos Apóstolos, São Pedro.

II.- Os fiéis cristãos das Igrejas locais, cumpridas as condições habituais (Confissão sacramental, Comunhão eucarística e oração pelas intenções do Sumo Pontífice), excluído qualquer apego ao pecado, poderão ganhar a Indulgência plenária se participarem devotamente em uma celebração sacra ou em um pio exercício tido publicamente em honra do Apóstolo dos Povos: nos dias da solene abertura e encerramento do Ano Paulino, em todos os lugares sagrados; em outros dias determinados pelo Ordinário do lugar, nos dias sagrados dedicados a São Paulo e, por aproveitamento dos fiéis, em outros designados pelo próprio Ordinário.

III. – Finalmente, os fiéis impedidos por doença ou outra legítima e relevante causa, sempre com o ânimo desapegado de qualquer pecado e com o propósito de cumprir as condições habituais enquanto for possível, poderão também ganhar a Indulgência plenária, com tal de que se unam espiritualmente a uma celebração jubilar em honra de São Paulo, oferecendo a Deus suas orações e sofrimentos pela unidade dos cristãos.

A fim de que os fiéis possam participar com maior facilidade destes celestes favores, estejam atentos os sacerdotes – com aprovação da autoridade eclesiástica competente para escutar confissões –, com ânimo disposto e generoso, a acolhê-los.

O presente Decreto tem validez só na duração do Ano Paulino, a não ser por disposição contrária.

Dado em Roma, na sede da Penitenciária Apostólica, em 10 de maio, ano da encarnação do Senhor 2008, véspera de Pentecostes.

James Francis Card. Stafford

Penitenciário Maior

+Gianfranco Girotti, O.F.M. Conv.

Bispo Tit. De Meta, Regente

[Tradução: Élison Santos. Revisão: Aline Banchieri]