Desacordo do episcopado alemão com manifesto de teólogos

“Ideias com frequência já debatidas”, diz secretário da Conferência Episcopal

| 1729 visitas

BERLIM, domingo, 6 de fevereiro de 2011 (ZENIT.org) - Após um manifesto de teólogos que pedem o fim do celibato, o sacerdócio feminino e a participação popular na eleição de bispos, o episcopado alemão expressou seu desacordo e pediu mais aprofundamento sobre os temas.

É o que afirma uma nota difundida na sexta-feira pelo secretário da Conferência Episcopal Alemã, o jesuíta Hans Langendörfer, em resposta ao documento “Igreja 2011: uma mudança necessária”, assinado por 143 professores de faculdades teológicas alemãs, austríacas e suíças, em que, a partir do recente escândalo dos abusos sexuais, pedem reformas nos diferentes setores da Igreja.

Para o padre Langendörfer, que reconhece a importância do diálogo com o mundo teológico, “o documento recolhe essencialmente uma vez mais ideias debatidas com frequência”.

Mas – prossegue o porta-voz – “sobre uma série de questões o documento está em desacordo com as convicções teológicas e as declarações da Igreja”.

Trata-se, portanto, de temas que requerem um “posterior aprofundamento”, a que se dedicará a próxima assembleia plenária do episcopado.