Descobrindo o legado franciscano na Califórnia

| 402 visitas

ROMA, domingo, 31 de agosto de 2008 (ZENIT.org).- Gosto de sol e areia tanto quanto qualquer pessoa, mas uma grande parte de minhas preciosíssimas semanas de férias é usada para aprender sobre algo fora de meu campo usual de estudos.

Como meu emprego e hobby parecem ser a mesma coisa, estou sempre interessada em arte cristã e em arquitetura onde eu vou, e este ano quis explorar a Califórnia.

Como nasci em Boston, devo admitir que cheguei em nosso 31° Estado com um pouco de temor. Parecia que, com exceção das sequóias, a Califórnia era tudo novidade.

Mas, de fato, a Califórnia tem uma tradição católica mais antiga que em Massachusetts, através dos esforços prolongados e sacrificados dos primeiros missionários, em particular dos franciscanos.

A topografia da costa Califórnia é definida por cidades com nomes de santos, um legado das explorações espanholas. Listar estas cidades é como invocar uma ladainha dos santos para abençoar esta bela e fascinante área.

Desde 16 de julho de 1770, quando o padre Junipero Serra fundou a primeira missão de San Diego, em Alcalà, nos montes sobre San Diego, até a última missão de San Francesco Solano, fundada em Sonoma em 1823 em face da crescente hostilidade das forças seculares, os franciscanos construíram 54 missões.

Essas igrejas, cuidadosamente espalhadas 30 milhas umas das outras, formam um «rosário de missões» ao longo de 650 milhas da auto-estrada Califórnia, uma vez conhecida como «el Camino Real» (o Caminho Real).

Visitei San Diego, a casa da primeira missão do Padre Serra, e ouvi a heróica história do homem que trouxe o Evangelho à Califórnia. Agora, uma paróquia ativa situada em Presidio Hill, a missão de San Diego, com sua linda, pura fachada e sua robusta torre de sinos triplos, não dá nenhuma indicação das provações e tribulações que sofreu em seus 250 anos de existência.

O Padre Serra primeiro estabeleceu esta missão num local com vista para o mar, próximo ao forte dos soldados espanhóis. A «primeira igreja da Califórnia», uma cabana de madeira crua, teve um começo difícil no qual os nativos americanos não acreditavam nos recém-chegados e aproximavam-se somente para receber presentes ou para roubar os armazéns.

Pe. Serra estava feliz em permitir os ataques e roubos, como um sacerdote paciente pensava que umas poucas bugigangas tinha um preço pequeno para salvar uma alma, mas os soldados logo perderam a paciência e começaram a intimidar os índios.

Os franciscanos perceberam que teriam de se separar de seus protetores militares e escolher um local a 6 milhas de distância, mais próximo das vilas dos nativos americanos.

Esta decisão produziria o primeiro mártir das missões. O padre Luis Jayme se mudou para o novo local e com sucesso começou a evangelizar os nativos americanos. Mas, na noite de 4 de novembro de 1775, dois índios insatisfeitos com a missão incitaram algumas das aldeias remotas a revoltarem-se, e 800 índios assaltaram o local. Padre Jayme foi assassinado.

Seu túmulo pode ainda ser visto no piso da igreja, a algumas milhas de Hollywood. Aqui, onde estúdios de cinema fabricam heróis virtuais para o entretenimento, o Pe. Jayme é um exemplo de um verdadeiro campeão cristão.

Os franciscanos foram forçados a retornar ao local anterior, mas eles permaneceram brevemente e reconstruíram outra missão com o passar dos anos. A missão floresceu com milhares de batizados e grandes efeitos de modernização da área, incluindo represas, agricultura e indústria. Eles construíram uma nova grande estrutura com tijolo de adobe branco em 1813, mas ruiu desastrosamente em 1834.

A República Mexicana ganhou sua independência da Espanha em 1821. Em 1834, o recém-criado Congresso Mexicano, com forte influência massônica, aprovou o Ato de Secularização das Missões da Califórnia, que expulsou os franciscanos e vendeu as missões a particulares.

Enquanto isso, San Diego foi comprada pelo governo dos Estados Unidos e usada como uma guarnição do exército. A pequena e graciosa igreja foi transformada em um estábulo onde cavalos pisavam na tumba de Luis Jayme.

Quando a Califórnia se uniu à União em 1850, o arcebispo J. S. Alemany pediu a devolução da antiga terra de missão. Em 1853, a Missão de San Diego retornou para a Igreja e agora, restaurada à sua glória passada, serve como uma lembrança da fervorosa contribuição dos franciscanos para a alma da Califórnia.