Detentos paraenses recebem visita de Nossa Senhora de Nazaré

Em preparação ao Círio de Nazaré Arquidiocese de Belém lembra ensinamento bíblico: eu estava na prisão e fostes me visitar (Mt 25, 36)

| 749 visitas

Por Alan de Jesus

BELÉM DO PARÁ, quarta-feira, 26 de setembro de 2012 (ZENIT.org) - Mesmo longe do convívio social os detentos das casas penais no Pará não abandonam sua fé e buscam, por meio da interseção de Nossa Senhora, conseguir a liberdade e o perdão de Deus. Até a realização de uma das maiores manifestações católicas do mundo, o Círio de Nazaré, 16 estabelecimentos penitenciários paraenses receberão a visita da Imagem Peregrina da Virgem, a mesma que, no segundo domingo de outubro, reúne mais de dois milhões de fiéis em Belém durante procissão. No dia 27 deste mês, o Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, levará a imagem da representação da mãe de Jesus para o Presídio Estadual Metropolitano II, à rodovia BR 316. A ação é uma iniciativa da Arquidiocese de Belém, Diretoria do Círio de Nazaré e Pastoral Carcerária Arquidiocesana.

Dados do levantamento feito pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça, mostram que o Pará tinha em dezembro de 2011 uma população carcerária de 12.205. Esse deve ser, em média, o número de detentos que receberão as bênçãos da “Rainha da Amazônia” durante os dias que antecedem o “Natal dos Paraenses”. Só no Presídio Estadual Metropolitano II, a Arquidiocese espera evangelizar sua população carcerária, que hoje, segundo dados do Centro de Apoio Operacional Criminal do Ministério Público do Pará, é de 250 pessoas.

De acordo com o Arcebispo de Belém, Dom Alberto, as visitas “são um meio de evangelização dos encarcerados que entram em contato com o exemplo de Maria”. Já para o coordenador da Pastoral Carcerária da Arquidiocesana, Diácono Ademir Silva, a religião auxiliar o processo de re-socialização. “A Igreja quer, com a ajuda de Maria, contribuir com a re-socialização dos encarcerados”, afirma.

Para o Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém, Dom Teodoro Mendes, que também está fazendo visita aos estabelecimentos penitenciários, a imagem de Nossa Senhora remete aos cristãos à figura da mãe do Salvador. “Quando Maria foi visitar Izabel ela se sentiu honrada e expressou: ‘como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar?!’. Esse é também o sentimento dos fiéis que se encontram em alguma penitenciária”, explicou. “Nossa visita expressa a nossa solidariedade”, frisou.