Dia de Nossa Senhora de Fátima

Nesta terça-feira, 13 de maio, completam-se 97 anos da primeira aparição. Ainda hoje milhares de testemunhos se espalham por todo o mundo

Brasília, (Zenit.org) Lilian da Paz | 548 visitas

Nesta terça-feira, 13 de maio, Portugal e todo o mundo comemoram 97 anos da primeira aparição de Nossa Senhora de Fátima. O acontecimento se seguiu por mais cinco meses até 13 de outubro daquele mesmo ano.

Os três pastorezinhos Lúcia, Jacinta e Francisco, na época com 10, 9 e 7 anos de idade, respectivamente, receberam a missão de serem videntes mensageiros dos pedidos daquela Mulher que a eles aparecia.

Ela pedia para que todos rezassem incessantemente o rosário, rogassem pela conversão do mundo e pela reparação dos pecados da humanidade. Estes pedidos trazem consigo a propagação da consagração ao Imaculado Coração de Maria e a própria conversão de vida.

Na última aparição de Maria, aconteceu um milagre espetacular. O sol pôde ser olhado diretamente por todos; ele girava como uma roda de fogo dando a impressão de quase precipitar-se sobre a terra. Na ocasião 70 mil pessoas estavam presentes. Daí em diante, Fátima virou um dos maiores santuários de peregrinação mariana do mundo e ganhou uma grande devoção em diversos países.

De amiga para amiga

A bancária brasileira, Hariadne Azevedo, conta que desde pequena tem uma grande afeição à Nossa Senhora de Fátima. Consagrada pelo método de São Luis Maria Grignion de Montfort há um ano, Hariadne morou desde os oito ao lado de uma paróquia dedicada à Mãe de Portugal, na cidade do Gama, a 35 km de Brasília, capital brasileira.

Nesta paróquia, Hariadne fez catequese, primeira comunhão e foi coroinha. “Pra mim só existia aquela Nossa Senhora, a de Fátima. Com o passar do tempo fui vendo que há outras expressões marianas; não tenho nada contra as outras, mas é com Nossa Senhora de Fátima que tenho mais afeição”, conta entre risos.

Ainda quando criança, a bancária achava um absurdo ter feriado em 12 de outubro, Dia de Nossa Senhora Aparecida – Padroeira do Brasil –, e não haver feriado também no dia 13 de maio. Esta afinidade foi crescendo ao longo dos anos. Hoje, o relacionamento da Mãe com a filha é de verdadeira amizade. “A imagem de Fátima é que me vem à cabeça quando converso com ela. Tudo o que tenho pra falar conto pra ela”.

Esta amizade rendeu à Hariadne uma graça especial. Em 2007, aos 24 anos de idade, ela descobriu que tinha um tumor maligno no estômago. Logo que recebeu o diagnóstico foi marcada a cirurgia. Ela, então, pediu a intercessão Nossa Senhora de Fátima e sabe que recebeu a cura pelas mãos d’Ela.     

Nesta terça, Hariadne vai à Santa Missa agradecer pelo amor que Cristo derrama por meio da santíssima intercessão de Fátima.   

Um presente de Fátima

A servidora pública brasileira Lúcia Rosa começou a despertar a curiosidade sobre Nossa Senhor de Fátima a partir do próprio nome, ainda na adolescência: umas das videntes também se chamava Lúcia. A servidora também carrega um apreço pela devoção ao Imaculado Coração de Maria, devoção esta que divulga a todos.

Lúcia sempre recebeu inúmeras graças de Nossa Senhora de Fátima. A última, e mais especial, aconteceu na peregrinação que ela o esposo, Marcos, fizeram para Roma durante a Semana Santa e a canonização dos Papas João XXIII e João Paulo II, este último grande devoto de Fátima.

Em Roma, Lúcia e Marcos participaram das celebrações da paixão, morte e ressurreição de Cristo em várias Igrejas. Destaque para a Basílica de Santa Maria Maior, um santuário mariano que sinalizou, mais uma vez, a presença de Nossa Senhora durante a peregrinação.

Na canonização dos papas, o casal acompanhou a celebração na Via della Conciliazione, que dá acesso à Praça de São Pedro. Ficaram bem à frente de um telão rodeado de poloneses. Na volta para o Brasil, pegaram um voo com escala em Portugal: foi aí que Nossa Senhora de Fátima encomendou uma bela surpresa.  

Antes da viagem, ainda no Brasil, o casal teve um grande imprevisto com a companhia aérea. O voo de volta para o Brasil teve o trajeto Lisboa - Brasília cancelado – o próximo embarque seria somente no dia seguinte. Assim, Lúcia e Marcos teriam que pernoitar em Portugal, sem condições de pagar os custos adicionais. Lúcia conta que pediu a Nossa Senhora de Fátima que intercedesse pela situação.

“Na primeira ligação que fiz, eles (companhia aérea) não queriam nos ajudar. Eu pagaria a mais pela estadia em Lisboa. Mas levei a situação a Nossa Senhora de Fátima: na segunda vez que liguei, eles nos deram hotel e táxi – tudo pago – para dormirmos lá, esperando o voo de volta ao Brasil”, conta Lúcia.

Durante a volta de Roma para Portugal, Lúcia descobriu que a prima de Jacinta e Francisco (dois dos três videntes de Fátima) estava no avião. Lúcia foi até o encontro da senhora, que também se chama Jacinta, e conversou por muito tempo com ela. Da conversa surgiu o convite. Assim que chegassem à Lisboa, Lúcia e Marcos poderiam ir à Fátima com Jacinta e o esposo, pois havia dois lugares sobrando no carro.

O convite ficou dependendo só da confirmação de um padre que também iria para Fátima no mesmo carro; se ele fosse ficaria somente um lugar para o casal. No fim das contas, o padre acabou recebendo uma missão de última hora e permaneceu em Lisboa.  

Já em Fátima, Jacinta e o marido mostraram os locais mais importantes da vida dos três pastorezinhos: o caminho onde pastoreavam as ovelhas, a Cova da Íria, o exato local onde Nossa Senhora de Fátima apareceu. A prima da vidente também revelou detalhes íntimos da vida das crianças, como se já conhecessem Lúcia e Marcos há muito tempo. Jacinta contou que a devoção se espalhou por todo o mundo, mas que agora as curas não são em maioria físicas, mas espirituais.  

“Parece que o tempo parou. Fizemos muita coisa em apenas três horas. No hotel da família nos serviram um jantar à brasileira (arroz, feijão, picanha e batata fritas) e ainda comi um pastelzinho de Belém, que disse a Nossa Senhora ter muita vontade de provar”, relembra Lúcia.

Com o coração cheio de gratidão, Lúcia reconheceu o amor de Nossa Senhora de Fátima em todos os momentos peregrinação. “Ao invés de nós a presentearmos, foi Ela quem nos presenteou. É muito bonito ver a ação de Nossa Senhora no ordinário da nossa vida”.